Honda suspende contratos dos trabalhadores na maior fábrica de motos do Brasil, em Manaus

A Honda anunciou na última terça-feira (28) a suspensão de contratos dos trabalhadores de sua fábrica em Manaus (AM), que é a maior de motos do Brasil, com capacidade de produzir mais de 1 milhão de unidades por ano.

A Honda anunciou na última terça-feira (28) a suspensão de contratos dos trabalhadores de sua fábrica em Manaus (AM), que é a maior de motos do Brasil, com capacidade de produzir mais de 1 milhão de unidades por ano.

Segundo a montadora, um acordo coletivo foi firmado com o Sindicato dos Metalúrgicos de Manaus, com base na MP 936, que flexibiliza os contratos de trabalho durante a pandemia de coronavírus.

No total, a divisão de motos da empresa tem 7 mil colaboradores, e 6.500 deles serão afetados pelas medidas.

A Honda informou que a maior parte dos colaboradores terá o contrato de trabalho temporariamente suspenso por período máximo de 60 dias.

No entanto, os termos do acordo deixam de ser válidos assim que os colaboradores retornarem ao trabalho, a partir do próximo dia 18.

Durante o período de aplicação da medida, os salários podem ter redução de até 25%. A montadora afirma que será assegurado, por meio de ajuda compensatória, de 75% a 100% da renda líquida atual dos empregados.

 O desconto será escalonado conforme faixas salarias, sendo maior para os níveis superiores, disse a montadora.

A fábrica de Manaus foi inaugurada em 1976, e, recentemente, alcançou o marco de 25 milhões de unidades produzidas.

A empresa está paralisada desde 27, e a previsão era de retorno em 4 de maio, mas a medida foi prorrogada.

Somente a Honda, líder de mercado, é responsável por 79,2% do mercado de motos no Brasil.