Volkswagen Polo GTS: o esportivo nacional está de volta

Desempenho fora de série: 0-100 km/h em 8,4 segundos e velocidade máxima de 207 km/h

Foram 26 anos desde que a lendária sigla de três letras deixou o portfólio da Volkswagen no Brasil. Mas esse ícone do prazer ao dirigir nunca deixou de despertar paixões em quem aprecia carros esporte, ouve o ronco do motor ou pega carona em um. Agora o Polo traz de volta à realidade a lenda GTS, em uma perfeita combinação de tecnologia, inovação e tradição, para tornar-se nova referência em esportividade dentro de seu segmento no País. 

Fabricado sobre a Estratégia Modular MQB - conceito de produção de automóveis que já é por si uma referência em prazer ao dirigir, eficiência e recursos tecnológicos - e equipado com o motor 250 TSI (1,4 litro, 150 cv e 250 Nm de torque) e câmbio automático de seis marchas, o Polo GTS nasceu de um conceito inspirado nos lendários modelos dos anos 1980 e 1990 e que fez grande sucesso no Salão Internacional do Automóvel de São Paulo 2018.

Performance 

acima da média

O Polo GTS acelera de 0 a 100 km/h em 8,4 segundos. E sua velocidade máxima supera a marca dos 200 km/h: são 207 km/h. Isso graças ao consagrado conjunto mecânico que combina o motor 250 TSI (quatro cilindros e 1,4 litro de cilindrada), com potência de 150 cv (etanol ou gasolina) e 250 Nm (25,5 kgfm) de torque - também com etanol ou gasolina - ao câmbio automático de seis marchas AQ250 (o mesmo do Jetta, mas com acerto mais esportivo).

Parte da família EA211 de motores, o 250 TSI é produzido na Fábrica de São Carlos. Aplicado nos modelos Jetta e Tiguan, esse motor possui vários recursos de alta tecnologia para oferecer excelente desempenho, alta durabilidade e baixo consumo de combustível – como o duplo circuito de arrefecimento, bloco e cabeçote feitos de alumínio e duplo comando de válvulas variável.

Interior único 

e exclusivo

Na cabine escurecida (teto, bancos e laterais de porta são da cor preta), o grande destaque são os bancos esportivos, mais firmes, que oferecem bom apoio ao corpo em curvas. O apoio de cabeça integrado remete aos bancos utilizados em carros de competição.

O revestimento é feito com misto de tecido e couro, trazendo linhas horizontais que fazem referência aos bancos dos modelos da década de 1980 e com a sigla GTS gravada no encosto.

O volante é exclusivo, com acabamento de couro e costuras vermelhas e a sigla GTS na base. Detalhes na cor vermelha também estão nas molduras das saídas de ar, base da alavanca de câmbio e tapetes.

Eletrônica para 

o desempenho

O Polo GTS é equipado de série com o painel digital (Active Info Display), que se diferencia pela iluminação vermelha. Esse é um dos recursos eletrônicos exclusivos possibilitados pela Estratégia Modular MQB.

Outro recurso é o seletor do modo de condução, que altera a personalidade do Polo GTS, afetando inclusive o som do motor – o motorista pode escolher entre os modos “normal”, “ecológico”, “esportivo” ou “individual”. Quando é selecionado o modo esportivo, entra em ação o atuador sonoro, que amplifica o prazer ao dirigir, garantindo mais emoção.

Ainda no campo da eletrônica, o Polo GTS é equipado com o XDS+ (bloqueio eletrônico do diferencial), que faz parte do ESC – Controle eletrônico de estabilidade (item de série).

O XDS+ melhora o comportamento dinâmico do carro. Esse sistema aumenta a agilidade e diminui a necessidade de movimentação do volante por meio de intervenções seletivas nos freios das rodas internas às curvas nos dois eixos e permitindo uma transferência do torque disponível do motor para as rodas externas.

O XDS+ funciona com quaisquer condições de aderência do piso. Isso resulta em dirigibilidade precisa, com mais tração e agilidade nas curvas.

O ESC do Polo GTS também inclui o sistema de frenagem automática pós-colisão (Post-Collision Brake), recurso exclusivo na categoria.

Também são itens de série o detector de fadiga, retrovisor interno eletrocrômico, sensores de chuva e crepuscular e o controlador automático de velocidade (piloto automático).