Setor de turismo está parado e sem perspectiva de volta

Agências estão fechadas e clientes podem remarcar viagens ou obter créditos

O setor de turismo tem sido um dos mais afetados pela pandemia do Coronavírus que começou no final do ano passado e vem atingindo vários países, inclusive o Brasil. As agências de viagem viram a busca por pacotes e excursões despencarem  nos últimos dias. Além dos cancelamentos de viagem, o setor também enfrenta a quarentena decretada em várias cidades como forma de conter a transmissão do vírus.

Em Marília as agências de viagens estão fechadas como todo o comércio. O proprietário da Ellos Turismo, Sérgio Ricci, que atua no setor de turismo há 46 anos, disse que nunca presenciou uma situação como esta no setor.

Viagens internacionais previstas para 2020 foram canceladas em razão do Covid-19 e com o avanço da doença no Brasil, pacotes nacionais também estão sendo remarcados. “Nunca tinha visto uma coisa nesta dimensão. O setor parou a zero, o turismo é mais prejudicado.Todo ano fazemos tradicionalmente o pacote para Israel e Itália, iríamos dia 24 de maio e tive que cancelar”, disse.

Ricci explica que todos os parques da Disney estão fechados e os governos de vários países proibiram a entrada de turistas. Ele lamenta inclusive a situação das agências, que estão sem condições para cumprir seus compromissos com funcionários e serviços. “Estamos parados há mais de 30 dias. Nunca vivemos uma situação tão difícil e o problema é a incerteza”, disse. A Ellos Turismo mantém o atendimento para informações aos clientes via whatsapp e Facebook.

Bruno Vinícius Silva, proprietário da Viva Turismo, afirma que os pacotes que tinham sido marcados para março, abril e maio a grande maioria foi remarcada. As operadoras dão a opção aos clientes de remarcarem as viagens ou guardar o crédito para ser utilizado no período de um ano.

Ele explica que o mesmo procedimento é feito para pacotes nacionais e internacionais. Bruno afirma que a expectativa é de retomada em setembro mas não há garantias. O atendimento aos clientes continua sendo feito via whatsapp e pelas redes sociais da agência.

PERDAS

Conforme perspectivas de órgãos internacionais, o setor de turismo pode fechar 50 milhões postos de trabalho em todo mundo devido aos efeitos do coronavírus e às restrições de viagens aplicadas em diferentes países.

Segundo estimativas da World Travel & Tourism Council (WTTC), entidade internacional do setor, serão afetadas ao menos 25% das viagens previstas para 2020.

Para muitas empresas, a questão será quanto tempo conseguirão ficar abertas sem obter nenhuma receita e tendo que arcar com grandes prejuízos com reembolsos aos clientes - afirmou Virginia Messina, diretora-gerente da associação. A WTTC estima que ao menos 16% dos empregos no setor estejam em risco. Ao todo, as empresas de turismo empregam 319 milhões em todo mundo.