Chegam os 2 primeiros respiradores para combater a pandemia em Marília

Campanha ainda conseguiu um compromisso de empresários para a aquisição de mais 50, de acordo com a necessidade

Foto: Divulgação

Chegaram os dois primeiros respiradores adquiridos para o combate à pandemia em Marília. A compra foi feita pelo Movimento contra o Covid-19 para aumentar a capacidade de UTI.

Outros oito equipamentos serão entregues em hospitais locais e a campanha ainda conseguiu um compromisso de empresários para a aquisição de mais 50, de acordo com a necessidade.

Os dois equipamentos do modelo Newport e360e, com valor individual de R$ 38.000,00, estão em fase de montagem e instalação no Hospital das Clínicas. Com eles, os leitos adultos da Unidade de Terapia Intensiva do HC serão ampliados de 28 para 30.

E a instituição ainda tem mais respiradores que darão suporte à ampliação da UTI de acordo com a demanda por Coronavírus (se preciso).

Até o início dessa pandemia, a autarquia HC/Famema possui 63 respiradores, sendo que 49 estão no HC I (Hospital das Clínicas), 13 no HMI (Materno Infantil) e um no HC III (Hospital Dia, antigo Hospital São Francisco).

Mais três respiradores ainda serão entregues ao mesmo hospital pela iniciativa de uma rede de supermercados. A empresa se uniu ao Movimento Marília contra o Covid-19, idealizado pelo médico Juliano Rubatino.

O psicogeriatra se ateve à importância da ajuda aos hospitais de Marília em função da sua especialidade, com maioria idosa entre os pacientes. Outros médicos se aliaram à causa, junto com empresários e a sociedade em geral.

Os primeiros respiradores foram destinados ao Hospital das Clínicas por integrar a autarquia HC/Famema, maior referência hospitalar em saúde pública da região.

“O Hospital das Clínicas tem número suficiente para as situações normais, mas deve faltar na pandemia”, disse Rubatino. O aparelho é essencial ao tratamento de pacientes com Coronavírus pela redução da capacidade respiratória.

A superintendência do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Marília, HC/Famema, informa que está “seguindo as determinações da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo que, por meio da resolução SS 27/2020,

atribuiu ao Centro de Contingência do Coronavírus a responsabilidade de auxiliar no monitoramento e planejamento das ações relacionadas ao Covid-19. Esse órgão, junto com a SES, tem a competência de organizar e normatizar as ações de prevenção, vigilância e controle no âmbito estadual”.

Empresários assumem compra de 50 respiradores

A campanha, através da mesma rede de supermercados, vai entregar cinco respiradores e cinco monitores cardíacos à Santa Casa de Misericórdia. E um grupo de empresários assumiu o compromisso com o Movimento para compra de outros 50 respiradores para UTIs de Marília.

De acordo com o idealizador da campanha, em função da grande procura, os respiradores ainda não estão disponíveis para aquisição e subiram muito de valor, devendo custar cem mil reais cada.

A intenção de compra, que será assinada nos próximos dias, garante a compra de uma quantidade maior, mesmo mais cara, de acordo com a necessidade de pacientes de Marília e também da região, que utilizam os hospitais da cidade.