Presidente do Sindicato teme pelo futuro das empresas e pede diretrizes ao Governo

Ele afirma que falta um direcionamento por parte do Governo Federal para que as empresas mantenham-se fechadas.

 

O presidente do Sindicato dos Hoteis, Restaurantes, Bares e Similares de Marília, Sinval Gruppo, afirma que o setor vive um momento delicado e teme pela estabilidade das empresas após o período de quarentena e a reabertura dos estabelecimentos.

“A maioria dos empresários  acha que é preciso encurtar o período de quarentena. Que após 15 dias fechados vai ficar difícil manter a situação, com contas a pagar e funcionários”, disse.

Sinval Gruppo afirma que falta um direcionamento por parte do Governo Federal para que as empresas mantenham-se fechadas. “Não sabemos como vamos sobreviver, como pagar funcionários e fornecedores depois disso. O Governo teria que se pronunciar com um plano de assistência tanto para os trabalhadores como para os empregadores. Se for prorrogar a quarentena por muito tempo, muitos irão fechar. Se é necessária a quarentena, o Governo deve dar uma solução para pagarmos salários, benefícios, água, luz”, disse.  

O presidente do sindicato, afirma que bares e restaurantes funcionando apenas em sistema Delivery não é suficiente para cobrir os custos. “Só com o delivery as vendas não são suficientes, não alcança a renda ideal. Aguardamos medidas mais eficazes por parte do governo para sobreviver a isso. A maior parte dos comerciantes colocou os funcionários em férias coletivas por 15 dias, depois disso não temos o que fazer”, disse Sinval Gruppo.