Cuidadora pede ajuda para irmão acamado

Aurora escreveu uma carta ao Jornal da Manhã, onde pede ajuda da população

Foto: Reprodução

A cuidadora Aurora Baldenebro pede ajuda da população para o irmão acamado.

Ambos vivem com o BPC (Benefício de Prestação Continuada) de um salário mínimo, mas o paciente requer medicamentos, alimentação adequada e repetidas trocas de roupa pessoal, de cama e banho, o que aumenta o custo de vida da família.

Aurora parou de trabalhar há anos para atender as necessidades contínuas do irmão de 72 anos, que está cego, doente e com uma perna amputada. E também de outra irmã, que também adoeceu e se tornou dependente, já tendo falecido.

A família recebe ajuda social, como do grupo Amigos do Bar, que já doou cestas básicas e fraldas à família, além de itens como ventilador e cadeira de rodas.

Mesmo assim, a dificuldade é permanente e a cuidadora enviou uma carta ao Jornal da Manhã para pedir doações à sociedade, de alimentos, roupas pessoais, de cama e banho. Além de produtos de higiene.

“Meu irmão não pode se alimentar com refeições secas porque engasga, precisa de caldos, de legumes e de leite diariamente. Devido às muitas trocas e banhos na cama, também preciso trocar suas roupas e os lençóis e toalhas constantemente e falta produto para lavar tudo isso”, contou Aurora.

Com a pandemia do Coronavírus a preocupação aumenta porque a limpeza da casa tem que ser ainda mais rigorosa. E agora Aurora também está com problemas de saúde.

A ajuda da sociedade pode ser encaminhada à rua José Camargo Oliveira, nº 315, no Jardim Bandeirantes, zona oeste. Ou é possível ligar para 99794-4069 ou 99684-3406.