Detentos fazem funcionário refém na penitenciária de Getulina

Unidade a cerca de 60 quilômetros de Marília sofre com superlotação e atualmente abriga 1.871 presos

Por Matheus Brito / Foto: Divulgação

Um funcionário da penitenciária de Getulina (cerca de 60 quilômetros de Marília) foi mantido refém por cerca de 30 minutos na manhã de terça-feira (24) por dois detentos, que reivindicavam transferência da unidade.

O incidente ocorreu quando o funcionário soltava os detentos para trabalhar na horta. Os dois presos pularam o muro junto ao pátio de sol e renderam o servidor.

O diretor Sindicato dos Agentes Penitenciários (Sindasp) de Marília, Luciano Novaes Carneiro, confirmou o incidente a reportagem do Jornal da Manhã e revelou que os dois presos serão transferidos da unidade prisional.

“Felizmente nada mais grave aconteceu. Os detentos negociaram com a diretoria da unidade e o funcionário foi liberado. Eles agora vão ser transferidos”, afirmou.

Segundo dados do site da Secretaria de Administração Penitenciária (SAP), a unidade prisional de Getulina é uma das inúmeras no Estado que sofre com superlotação. Atualmente, a penitenciária abriga 1.871 presos quando a capacidade é de 857 vagas.

A reportagem do Jornal da Manhã tentou contato com a SAP sobre o incidente e também a superlotação da unidade prisional, mas até a conclusão deste material não houve retorno.