Marília registra mais 426 casos de dengue e tem 2035 suspeitos

Transmissão pelo Aedes aegypti continua crescente na cidade

 

Foto: Divulgação

O boletim epidemiológico divulgado ontem (20) pela Vigilância Epidemiológica atualizou o total de vítimas da dengue em Marília neste ano.

São 426 casos confirmados até o momento e há 2035 pacientes com suspeita de terem sido contaminadas pelo Aedes aegypti. O município continua com uma morte confirmada.

Março começou com 286 casos de dengue em Marília neste ano. Em três semanas mais 140 foram confirmados. E nesse período houve novas suspeitas, que aguardam resultado de exame laboratorial.

A região com maior foco de transmissão é a oeste, seguida da zona sul. A VE (Vigilância Epidemiológica) informou que entre os 426 pacientes que contraíram dengue neste ano em Marília, 64 moram nas proximidades do bairro Argolo Ferrão e 31 na área do Chico Mendes.

Outros 31 pacientes moram no bairro Santa Paula ou em torno (zona sul). O Município teve uma morte por dengue neste ano. O idoso de 78 anos veio a óbito no dia 27 de janeiro, mas o caso só teve confirmação laboratorial um mês depois.

O paciente foi contaminado pelo vírus tipo 2 da dengue, o mesmo que está em circulação no município e em todo o centro oeste paulista neste ano. A doença sempre é transmitida pelo Aedes aegypti, quando o mosquito carrega o vírus e existem quatro subtipos virais.

Marília tem histórico de grande epidemia do tipo 1, em 2015, e de uma epidemia menor do tipo 2 no ano passado. As implicações dessa variedade é que a imunidade só ocorre em relação ao vírus já contraído e a doença repetida tende a ser mais grave.

Ou seja, todas as pessoas que já tiveram dengue uma vez ainda estão sujeitas a ter a doença mais três vezes e com maior risco de haver complicações.

A Prefeitura pede que a população continue, de forma permanente, com a mobilização pelo combate ao mosquito transmissor da dengue. As pessoas devem ficar atentas e eliminar possíveis criadouros do mosquito, ou seja, água parada.