Vice-artilheiro do Paulista Sub-13, mariliense assina com o São Paulo

Atacante Hugo Rocha marcou 16 gols em 18 jogos pelo Maquinho, no vice-campeonato de 2019

Por Jorge Luiz/foto: Christian Cabrini

Vice-artilheiro do Campeonato Paulista Sub-13 de 2019, o mariliense Hugo Rocha assinou contrato com o São Paulo Futebol Clube por quatro temporadas. O atacante foi um dos destaques do Marília Atlético Clube (MAC) no vice do estadual do ano passado, perdendo a final justamente para o Tricolor. Ele marcou 16 gols e só ficou atrás de Vitor Figueiredo (Palmeiras), que balançou as redes 22 vezes.

“Eu sempre almejei isso para mim, chegar em um clube grande e graças à Deus já consegui realizar esse sonho”, declarou Hugo Rocha. Além do São Paulo, os outros três ‘grandes’ do Estado (Palmeiras, Corinthians e Santos), mais Flamengo-RJ e Athletico-PR queriam o mariliense. “Eu escolhi o São Paulo, pois eu ficaria mais confortável em termos de estrutura. Acho que aqui vou evoluir mais”, comentou.

Hugo está no Centro de Treinamento de Cotia desde o dia 1º de fevereiro. Os treinos do sub-14 do São Paulo começaram no último dia 4. Os 16 gols marcados pelo Maquinho no Paulista Sub-13 do ano passado, foram feitos em 18 jogos.

2019 foi a terceira temporada seguida do atacante pela base maqueana e foram anotados 29 gols no total. Em 2017, ele foi o artilheiro do clube no Campeonato Paulista Sub-11, com 11 gols e em 2018, já pelo Sub-13, assinalou dois.

“Foi uma experiência muito boa por ter chegado na final do Paulista e ter sido vice-campeão. Foi uma honra vestir essa camisa do Marília. Agradeço pelos meus professores (Marcão, Vinícius, Yuri, Guilherme, Léo) por terem confiado em mim”, citou.

Do Maquinho vice-campeão estadual sub-13 de 2019, outros seis jogadores acertaram com outros clubes. O goleiro Joaquim e o zagueiro Fernando foram para o Desportivo Brasil, o zagueiro Lucas Zago e o atacante Roberto estão no Corinthians, o meia Vinícius Ruan já treina no Atlético-MG e o meia Dérick se apresenta ao Fluminense-RJ em março.

 

Nada para o MAC – Assim como tem acontecido nos últimos anos, a ida de jogadores de base para grandes clubes não tem rendido nada ao Marília. O contrato amador de Hugo Rocha com o Alviceleste se encerrou no dia 31 de dezembro.

“Neste caso não temos nada a fazer, pois até o ano passado, quando tinha 13 anos, ele ainda não podia assinar vínculo profissional conosco. O MAC só receberia algo da negociação com o São Paulo, se fosse clube formador (certificado exigido pela CBF)”, explicou o diretor executivo maqueano, Diego Cope.

No ano passado, o MAC disputou o Paulista Sub-13 em parceria com a escolinha Stadium BR/AABB. O proprietário da agremiação, Marco Aurélio Jorge, afirmou não ter havido nenhuma compensação financeira pela saída desses atletas para outros clubes.

“Não existe mais percentual de empresa em jogadores. A negociação é feita de clube para clube. Eu não sei como o Marília tratou dessa situação com o São Paulo (no caso do Hugo Rocha), mas posso garantir que nós não levamos nada. A nossa contrapartida na parceria com o MAC é o marketing para a nossa escola, pois pela segunda vez chegamos a uma final do sub-13 (2014 e 2019)”, frisou.

Marco Aurélio disse que a negociação dos meninos com os clubes foi realizada pelos pais. “Para quem não sabe os custos da nossa participação no Paulista Sub-13 foram arcados em sua totalidade por nós (Stadium BR) e pelos pais dos garotos. O MAC só nos emprestou o nome para podermos participar. Justiça seja feita, a secretário de esportes nos forneceu o transporte para quase todas as viagens”, lembrou o proprietário da escolinha.

A parceria MAC/Stadium BR já foi renovada para esta temporada nas categorias sub-11 e 13. “Já fechamos com o Diego Cope (diretor executivo) e o Lucas Toribio (diretor da base) e agora só estamos esperando a Federação (Paulista de Futebol) definir a data do Congresso Técnico”, mencionou Marcão.