Amei fecha com dois atletas de alto nível para o judô

Rebeca Silva é atleta da Seleção Brasileira e em 2019 foi medalha de prata no Parapan

Por Jorge Luiz/foto: Divulgação

A Associação Mariliense de Esportes Inclusivos (Amei) fechou ontem (dia 11), com dois atletas de alto rendimento do judô paralímpico, deficientes visuais.

O principal nome é de Rebeca Silva, integrante da Seleção Brasileira, que competia pela equipe APADV/São Bernardo, assim como Guilherme Sousa. Ambos vieram por indicação de Alana Maldonado, que representa a entidade desde 2015.

“Os dois moram em São Bernardo do Campo e vão continuar lá, já que em São Paulo fica o Centro de Treinamento Paralímpico. Estamos muito felizes por termos sido procurados por eles, principalmente pela Rebeca, que é atleta da Seleção Brasileira. Eles vieram até nós por indicação da Alana, pois ficaram muito interessados em nosso trabalho. Esse acordo conosco não envolve pagamento de salário, mas sim assistência nas questões burocrática da carreira, inscrição em competições e respaldo jurídico”, explicou o dirigente esportivo da Amei, Levi Carrion.

Rebeca Silva foi medalha de prata no Aberto da Alemanha, no último fim de semana, na categoria acima de 70 kg. No ano passado, ela foi vice-campeã do Parapan-Americano de Lima e dos Jogos Mundiais nos Estados Unidos, além da medalha de bronze na etapa de Baku, no Azerbaijão, do Grand Prix. Já Guilherme Sousa é o atual bicampeão das Paralimpíadas Escolares na categoria até 73 kg.