Famema apresenta projeto de saúde preventiva para o governo estadual

Reunião em São Paulo aconteceu na semana passada

 

Foto: Divulgação

A Famema apresentou um projeto de saúde preventiva ao governo estadual. A direção da faculdade esteve na Secretaria de Desenvolvimento Econômico na semana passada junto com diretores do Grupo Jacto e da Fundação Nishimura. O objetivo é criar um laboratório vivo em Marília com o uso de tecnologia.

Chamado de Plataforma Lilás: Living Lab para a Saúde, o projeto será coordenado pelo diretor de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão da Famema, Spencer Payão, sendo a Famema, uma das instituições-sede.

O núcleo conta ainda com pesquisadores renomados nos âmbitos nacional, vinculados à USP, Unicamp, Unesp, Mackenzie, Unimar, Univem e Ital (Instituto de Tecnologia de Alimentos de Campinas). E também internacional.

“O objetivo é criar um laboratório vivo com o auxílio da ciência de dados, IA (Inteligência Artificial), Machine Learning e Big Data. Visamos ações e intervenções principalmente em saúde preventiva com foco em alimentos saudáveis e exercícios físicos)”, contou Spencer.

Segundo o diretor de Pesquisa da Jacto, Tsen Kang, “a proposta é original e

inovadora nos níveis estadual, nacional e internacional. Marília deverá se tornar, em médio prazo, referência mundial em saúde preventiva”.

De acordo com o diretor geral, Valdeir Fagundes de Queiroz, a apresentação do projeto à Secretaria de Desenvolvimento Econômico visou a parceria público-privada. A Plataforma será submetida à Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo).