Alckmin vem a Marília e confirma apoio a reeleição de Daniel

Diretório do partido em Marília pretende ampliar bancada na Câmara

Por Izabel Dias  

O PSDB realizou ontem em Marília o 1º Encontro Regional do partido, com a presença de prefeitos e ex-prefeitos da região, dirigentes regionais,  do deputado Pedro Tobias e do ex-governador Geraldo Alckmin. O encontro recebeu novas filiações e reiterou apoio a candidatura a reeleição do prefeito Daniel Alonso em outubro.

Alckmin negou que não tenha apoiado Daniel Alonso na última eleição apesar de serem do mesmo partido. “As forças alienígenas de fora não mexem um voto. Já fui prefeito, a decisão é local. Senão o governador ganharia no estado inteiro. Tenho grande apreço pelo Daniel e acho que terá uma reeleição muito positiva; agora  a decisão é local, é o povo que decide na cidade”, disse.  

O diretório do PSDB em Marília pretende  ampliar a bancada do partido na Câmara e espera eleger quatro vereadores em outubro, juntamente com a reeleição do prefeito Daniel Alonso. Atualmente o PSDB mantem na Câmara os vereadores Delegado Wilson Damasceno e José Luiz Queirós.

O ex-governador destacou a importância das eleições municipais. “O século 19 foi o século dos impérios, o século 20 foi o século dos países e o século 21 o século das cidades. O governo local mais perto da população e com isso estimular maior participação na vida pública do nosso país. Trazer os jovens, trazer as mulheres para participar”, disse.

CENÁRIO NACIONAL

Sobre o atual quadro político nacional e a polarização entre esquerda e direita, o ex-governador afirmou a necessidade de uma reforma partidária, diante do grande número de partidos existentes. “A política brasileira está muito confusa e se nós não fizermos uma reforma partidária e uma reorganização da politica vamos ter uma situação muito precária”.

Alckmin criticou o grande número de partidos políticos e defende maior participação da população na política. “ Quando você tem 35 partidos você não tem partidos tem legendas, os partidos ficaram muito fragilizados e eu diria que a eleição vai ser muito das pessoas. Por isso é importante estimularmos a participação”.

O ex-governador acredita na recuperação da economia neste ano. “Acho que do lado econômico vai melhorar um pouco, porque a economia é cíclica; caiu o PIB em 2014, caiu o PIB em 2015, em 2016, agora claro que vai subir. A taxa de juros baixa. Acho que pode ter uma recuperação da economia, a gente sempre torce pelo Brasil”, disse Alckmin.