Município reforça ações de controle

Foto: Divulgação

A Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal da Saúde reiterou suas ações de controle d o avanço do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue e outras doenças não identificadas em Marília (zika e chikungunya).

As ações são realizadas em todas as regiões da cidade, sobretudo no bairro Argolo Ferrão, zona oeste, que concentra 37,4% dos casos confirmados, seguido pelo bairro Santa Paula, zona sul, com 8,95% dos casos.

Na região do Argolo Ferrão, a Divisão de Zoonoses realiza um bloqueio com nebulização com inseticida. “Ao mesmo tempo estamos orientando a população para a remoção dos criadouros do Aedes aegypti”, afirmou o supervisor Rafael Colombo.

A supervisora da Vigilância Epidemiológica, Alessandra Arrigoni, salientou que o apoio da população é fundamental. “A Prefeitura tem feito a sua parte, mas a colaboração da comunidade é de extrema importância para impedir a proliferação do mosquito. Temos casos espalhados por todo o município e todos têm que fazer a sua parte, eliminando os criadouros.”

Estado faz mobilização contra a dengue e arboviroses

Entre segunda (10) e sexta-feira (14) acontece a 1ª Semana Estadual de Mobilização contra o Aedes Aegypti. A iniciativa visa engajar a sociedade civil, municípios e organizações públicas e privadas em atividades focadas na prevenção à dengue, chikungunya e zika vírus, com foco especial no controle da proliferação do mosquito transmissor dessas doenças.

No decorrer da semana, cada município será responsável por desenvolver as ações de combate ao mosquito, com programação especial no “Dia D”, sexta-feira (14).

A abertura ocorre com o Encontro Estadual com Gestores Municipais no dia 10. O tema será “Desafios da vigilância e controle de Arboviroses - cenário 2020”. Serão abordados assuntos como os aprendizados de 2019, com compartilhamento de experiências de prefeituras, além de um panorama atual das arboviroses em São Paulo.

“Combater o Aedes é uma tarefa coletiva e estamos articulados com órgãos públicos e privados. Contamos com o apoio da população, no sentido de contribuir para a eliminação de possíveis criadouros do mosquito, uma vez que 80% dos focos são localizados dentro das residências”, afirmou o secretário de Estado da Saúde, José Henrique Germann.

Dicas de prevenção

O Estado aconselha a população a deixar a caixa d’água bem fechada e realizar a limpeza regularmente; retirar dos quintais objetos que acumulam água; cuidar do lixo, mantendo materiais para reciclagem em saco fechado e em local coberto; eliminar pratos de vaso de planta ou usar um pratinho que seja bem ajustado ao vaso; descartar pneus usados em postos de coleta da Prefeitura.