Corporação divulga no Diário Oficial as obras a serem realizadas no Abreuzão

Na partida de ontem (dia 25) contra o Linense, apenas 300 ingressos foram liberados para a venda

Por Jorge Luiz

No Diário Oficial do Estado, publicado ontem (dia 25), o Corpo de Bombeiros fez um resumo sobre o parecer da avaliação no estádio Bento de Abreu, com detalhes sobre a liberação parcial do ‘tobogã 2’, para o jogo contra o Linense (estreia do Campeonato Paulista da Série A-3) e a relação de obras e serviços para liberação total do local nas próximas rodadas.

O ‘tobogã 2’ tem como portão de entrada a Rua 21 de Abril e possui capacidade para aproximadamente 2.700 pessoas, mas para a partida de ontem, somente 300 ingressos foram liberados pela corporação. Para a utilização total do setor, será necessário o cumprimento de sete itens do laudo técnico (todos estão no quadro abaixo).

Em todos os setores, o documento cita a necessidade de obras, contratações, equipamentos, mudança de catracas e uma série de Anotações de Responsabilidade Técnica (Arts) a serem feitas por profissionais especializados sobre diferentes pontos das instalações.

Administradora do Abreuzão, a prefeitura terá que realizar a transferência completa da ‘Cozinha Piloto’, para liberar o ‘tobogã 1’, ao lado da Avenida das Esmeraldas.

Cada portão de saída de emergência existente na edificação, terá a vigilância constante de pelo menos um Brigadista que ficara de prontidão, em todos os dias de jogos ou atividades esportivas.

“Nos dias de jogos ou atividades esportivas que possam receber público no interior da edificação será empregado um veículo tripulado por dois brigadistas, com uma reserva de água de no mínimo 08 metros cúbicos de capacidade, e uma bomba mecânica de pressurização para ser usada em caso de incêndio, além do empregado de uma viatura de emergência tripulada por no mínimo um enfermeiro(a) e um motorista”, diz o laudo.

Segundo o parecer do Bombeiros, os setores “4” e “1” (cadeiras cativas/arquibancadas cobertas e geral), respectivamente faces oeste e leste, possuem problemas graves no dimensionamento das saídas de emergência (acessos radiais e laterais), o que impede que sua população abandone a edificação, em caso de pânico ou tumulto, completamente protegida em sua integridade física, além de dificultar o acesso às equipes médicas ou do Corpo de Bombeiros para a retirada de pessoas. “Desta forma, não há o mínimo de segurança ao permitir que pessoas acessem esses locais”.

Cabines de imprensa

Fica autorizada a utilização das cabines de imprensa, destinadas somente a esses profissionais, limitado o público a 20 pessoas, em conformidade com o item 5.7.5 da IT 11/19 (áreas privativas). Deverá haver controle de acesso às cabines, sendo vetado a utilização das salas vips ou camarotes, por qualquer membro de delegação.

Ficou autorizada a utilização dos vestiários localizados debaixo do setor “4” (cadeiras cativas), limitado o público no máximo a 30 pessoas por delegação, considerando haver nesse local as devidas medidas de segurança contra incêndio.