Ministério Público abre ação civil para apurar instalação de boxes sobre a linha férrea

Jornal da Manhã recebeu reclamações sobre segurança e ocupação do espaço

Por Izabel Dias 

O Ministério Público Estadual instaurou inquérito civil para apurar a legalidade da instalação de boxes sobre a linha férrea, ao lado da Estação Ferroviária de Marília e anexo ao camelódromo. O Jornal da Manhã recebeu reclamações de moradores e comerciantes que questionam a  segurança em relação as instalações elétricas no local e a falta de autorização legal para ocupação do espaço.

Os boxes estão instalados sobre a linha férrea, no trecho ao lado da rua Nove de Julho, atrás do Camelódromo. A malha ferroviária pertence a Rumo Logística.  Comerciantes e consumidores que transitam pelo centro da cidade, questionam o que a aparenta ser uma ‘ampliação’ do camelódromo sem qualquer norma de segurança, incorrendo inclusive no perigo de incêndio no local. Os moradores reclamam ainda que à noite o local reúne usuários de drogas e andarilhos.

O promotor José Alfredo de Araújo Sant’Ana  encaminhou à Prefeitura de Marília o  ofício nº 716/2019 sobre instalação do inquérito civil e solicitou informações sobre a situação.

Em documento encaminhado pela chefia de Gabinete e assinado pelo chefe da Divisão de Fiscalização de Posturas, Juliano Battaglia, a Prefeitura informa que “o averiguado no local é que existe um projeto social em benefício de pessoas carentes com oficina de arte e apoio ao pequeno produtor rural. Quanto a invasão da referida área, esta pertence a União destinado a uma empresa através de concessão, portanto cabe a mesma adotar e tomar as devidas medidas judiciais para desocupação da referida área”.

A reportagem do Jornal da Manhã encaminhou pedido de informações à assessoria da Rumo Logística mas até o final da edição não obteve resposta.