Casa abandonada há cinco anos vira abrigo de usuários de drogas e criadouro de caramujos

Ladrões praticam furto no entorno e usam a casa como esconderijo

Por Izabel Dias  

Moradores próximos de uma casa localizada no número 1.314 da avenida Nelson Spielman reclamam da situação do imóvel, abandonado há cerca de cinco anos. A casa está deteriorada, com mato alto e se tornou criadouro de caramujos, além de abrigo para usuários de drogas e ladrões.

Um morador informa que a casa abandonada é utilizada por usuários de drogas que passam a noite no local e também por pessoas que praticam furtos nos imóveis localizados no entorno. Uma das casas já foi furtada cinco vezes. “Levaram notebooks e vários objetos que podem levar”.

Até uma igreja que fica em frente ao imóvel teve dez botijões de gás furtados. Os ladrões aproveitam que a casa está vazia e utilizam o local durante a noite como esconderijo.

“Quando viajamos temos que deixar alguém tomando conta da casa. Moro aqui há 19 anos e essa casa está abandonada há pelo menos cinco anos e ninguém toma providências. É muito difícil para todos os moradores próximos, ninguém aguenta mais”, disse uma das vizinhas  que prefere não se identificar. A casa fica próximo ao centro da cidade, atrás do Poupa Tempo, do Ganha Tempo, uma área de grande circulação de pessoas e veículos.

Outro problema envolve saúde pública. A casa abandonada se tornou criadouro de caramujos, que acabam invadindo toda vizinhança. Há dois dias uma vizinha recolheu vários caramujos no local e ligou para Vigilância Sanitária. Segundo os moradores,  os proprietários da casa abandonada tem vários outros imóveis também abandonados na cidade. Eles pedem que o Poder Público Municipal tome providências junto aos proprietários em relação a conservação do imóvel.

LIMPEZA

Em nota encaminhada  ao Jornal da Manhã, a Prefeitura de Marília por meio do setor de fiscalização informou que a casa vem sendo notificada e autuada frequentemente. “Na data de ontem (10) foi feita mais uma notificação, com o prazo de 10 dias para o proprietário efetuar a limpeza, capinação e obstrução da calçada. Caso não seja feito, o proprietário será autuado e a Prefeitura entra no imóvel para realizar a limpeza”, informou a Prefeitura.