Museu de cera de Londres separa Harry e Meghan da família real

Menos de um dia depois que o casal anunciou a renúncia de suas funções reais, o museu decidiu agir para refletir esse momento delicado para a monarquia do país

O famoso museu de cera londrino Madame Tussauds, que exibe 250 reproduções em larga escala de personalidades de todo mundo, decidiu na última quinta-feira (9) separar o príncipe Harry, de 35 anos, e sua esposa, Meghan, 38, do restante da família real britânica.

Menos de um dia depois que o casal anunciou a renúncia de suas funções reais, o museu decidiu agir para refletir esse momento delicado para a monarquia do país.

"A partir de hoje, os personagens de Harry e não aparecerão mais na instalação que reúne a rainha Elizabeth II com os outros membros da família real", declarou o diretor do museu, Steve Davies, em um comunicado.

Os dois personagens, que estão entre os mais populares, "continuarão a ser elementos importantes do Madame Tussauds", esclarece o texto, observando que o museu acompanhará de perto a evolução desse novo "capítulo do casal".

Harry e Meghan, que há tempos manifestam dificuldades para suportar a pressão midiática que sua posição implica, anunciaram na quarta-feira (8) que vão abandonar suas funções de primeiro escalão como membros da família real britânica para passar mais tempo na América do Norte.

Em uma mensagem qualificada como "pessoal" e divulgada em um histórico comunicado do Palácio de Buckingham, Harry e a ex-atriz americana Meghan Markle anunciaram: "Temos a intenção de nos aposentarmos do primeiro escalão da família real e trabalhar para adquirir independência financeira, sem deixar de apoiar plenamente Sua Majestade, a Rainha".