Projetos culturais desenvolvidos em Marília são aprovados pelo ProAC

O Programa de Ação Cultural (ProAC) aprovou dois projetos desenvolvidos em Marília e disponibilizará cerca de R$ 140 mil para a realização das iniciativas.

O Programa de Ação Cultural (ProAC) aprovou dois projetos desenvolvidos em Marília e disponibilizará cerca de R$ 140 mil para a realização das iniciativas.

A ação de incentivo do Governo do Estado possibilitará a publicação do livro “Quem Te Pôs a Mão Sabendo Que és Minha?”, da escritora Fabrina Martinez, e o aplicativo “Free Bird”, do músico Ian Gigliotti.

Foram meses de espera para a confirmação da aprovação dos projetos, que ocorreu em novembro do ano passado.

No total, oito projetos do município foram inscritos em diferentes editais e apenas Fabrina e Ian Gigliotti conseguiram o aceite da comissão de análise do ProAC.

A escritora venceu um edital que previa a destinação do recurso de R$ 40 mil para a publicação, distribuição e divulgação da obra literária.

“Eu descobri a existência do ProAC através de um grupo do WhattsApp ‘Leia Mulheres Marília’.

Logo pensei: vou tentar publicar meu livro! Foi um processo de muita ansiedade. Primeiro você manda o projeto e aguarda um bom tempo para saber se foi aprovado.

O processo é longo, mas foi um dia muito emocionante quando eu soube da aprovação do meu livro”, comemorou a escritora.

O livro “Quem Te Pôs a Mão Sabendo Que és Minha?” é uma novela de ficção que retrata a vida e a morte através da história de uma mulher que perdeu a mãe e como afetou sua relação com a filha, que também está em luto pela avó.

 “A obra aborda o fim de um universo representado pela morte da mãe e a continuidade através da vida de sua filha”, descreveu Fabrina.

Os exemplares serão distribuídos neste ano pelas prateleiras das bibliotecas do Estado de São Paulo e clubes de leitura de livros escritos por mulheres. Além disso, Fabrina Martinez também ministrará duas oficinas gratuitas com os temas “Crítica Literária” e “Escrita Criativa” na Biblioteca Municipal de Marília.

O segundo contemplado, Ian Gigliotti, desenvolveu o aplicativo através da empresa Sala 33, uma incubadora de iniciativas e projetos de fomento à cultura.

 O Free Bird trata-se de uma plataforma virtual que viabiliza um ambiente atrativo - com ênfase no segmento musical - para promover negócios entre prestadores de serviço na área de cultura e contratantes de shows, casas noturnas, donos de bares e restaurantes.

O “IFood Musical” aproximará músicos, cantoras, compositores, bandas e orquestras de possíveis contratantes e empresários do ramo. Segundo Ian Gigliotti, a proposta da plataforma é ampliar o mercado da cultura e facilitar a negociação no segmento.

O músico venceu o edital de Inovação em Economia Criativa que preveria o recurso de R$ 100 mil. O prazo para conclusão do aplicativo é de um ano e a plataforma já estará disponível no mercado em 2021.

“A ideia surgiu em uma mesa de bar. Estava com outros dois músicos e pensávamos como facilitar a venda de shows, principalmente aqueles de pequeno porte”, explica. “Quando escrevi o projeto para o ProAC era marinheiro de primeira viagem.

É um processo que gera muita ansiedade. Mesmo depois da contemplação existem outras fases: análise de documentação e até recursos, caso tenha enviado algum documento errado.

O caminho é terrível até o pagamento, mas é preciso segurar a onda”, disse o músico.

Qualquer pessoa que reside no Estado de São Paulo pode submeter seu projeto ao ProAC. As inscrições são divulgadas diretamente pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa no portal http://www.proac.sp.gov.br/.