Marília pode ter foco isolado de sarampo

Criança contaminada passou duas semanas em Marília e cinco familiares dela, na cidade, adoeceram

Foto: Divulgação

Marília pode ter um foco isolado de sarampo na zona oeste. Por enquanto não há sintomas diretamente ligados à doença, mas cinco pessoas da mesma família adoeceram depois de passar as festas de fim de ano em contato com uma criança de Jaguariúna, que está internada com diagnóstico clínico da doença.

A criança passou aproximadamente duas semanas em Marília com sua família e se hospedou em uma chácara na zona oeste, com parentes que moram na cidade.

Após o Ano Novo a menina apresentou quadro febril e otite. Depois do atendimento hospitalar e em restabelecimento, seguiu para Ilha Bela em férias com a família, mas os antibióticos não surtiram o efeito esperado.

Ao retornar para sua cidade, a criança foi internada, onde segue em isolamento junto com o pai, que também começou a apresentar os sintomas.

Além da febre alta, na última terça-feira (7) a menina apresentou a vermelhidão na pele, característica do sarampo. A doença foi diagnosticada clinicamente, apesar de a criança ter sido vacinada (o que não garante 100% de proteção). A confirmação laboratorial fica pronta em dez dias.

Cinco pessoas adoeceram em Marília após contato com a criança

Em Marília, três crianças e dois jovens adoeceram entre a última semana e esta após contato com a criança contaminada, mas ainda não há ligação com o sarampo. A recomendação epidemiológica não se estende à população, sendo um risco isolado.

Segundo a Secretaria Municipal da Saúde, apenas quem teve contato direto com a criança deve ser vacinado, se não estiver com a caderneta de imunização em dia, o que pode ser verificado pelos postos de saúde.

A Vigilância Epidemiológica de Jaguariúna foi notificada e vai entrar em contato com os municípios onde a criança esteve nas últimas semanas, o que inclui, além de Marília, Piraju, Águas de Santa Bárbara e Ilhabela.

Criança pode ter sido contaminada após deixar Marília

Também é possível que a menina tenha sido contaminada fora de Marília e até depois das festas de final de ano que passou na cidade. A Vigilância Epidemiológica de Marília afirmou que 2020 ainda não apresenta nenhum caso confirmado ou suspeito de sarampo.

Marília registra 18 casos de sarampo em 2019

Três anos atrás o Brasil foi certificado pela erradicação do sarampo (2016), mas em 2019 o país voltou a ter a doença. O surto nacional do ano passado atingiu principalmente o estado de São Paulo, mais de 90% dos casos.

Marília investigou 110 vítimas suspeitas e confirmou a doença em 18 delas. A cidade integrou a campanha de imunização em agosto.

Foram mais de 50 mil suspeitas no país. As cidades registraram surtos especialmente de agosto a novembro. Foi o caso de Marília, que notificou 110 suspeitas à VE (Vigilância Epidemiológica Municipal), mas descartou a maior parte por exame laboratorial, 68 casos.

Ainda assim, a cidade teve 18 vítimas confirmadas de sarampo e o país, perto de 12 mil. Números que surpreendem por se tratar de uma doença erradicada até então. A vacina contra o sarampo passou a fazer parte do Programa Nacional de Imunizações (PNI) nas últimas décadas do século 20.

No entanto, se a vacina foi a responsável pela então erradicação do sarampo, também passou a ser relegada pela população, que deixou de se vacinar. Segundo a pediatra Ana Escobar, docente da Faculdade de Medicina da USP, a cobertura vacinal caiu de 92% para 76%, que ela informou ser um percentual muito baixo para conter o vírus.

Ainda que a vacina não garanta 100% de proteção, as pessoas imunizadas, se desenvolverem a doença a que estão imunes, o que não é provável, tendem a apresentar sintomas menos severos.