Psicólogos oferecem atendimento à população

Os 16 psicólogos envolvidos atuam em várias frentes querem intensificar as atividades

Foto: Divulgação

O Grupo de Prevenção ao Suicídio atingiu 15 famílias de enlutados e fez 50 atendimentos psicológicos sociais por semana em 2019. Neste segundo ano do trabalho voluntário, os 16 psicólogos envolvidos querem intensificar as atividades, que são disponibilizadas para a população.

A Prevenção ao Suicídio atua em diferentes frentes. O Grupo de Enlutados é voltado a familiares de suicidas, guardando discrição em relação aos participantes. A adesão aos encontros é gratuita e em 2019 atraiu 15 famílias diferentes.

O objetivo é oportunizar a escuta e o compartilhamento da dor. Os encontros acontecem toda terceira quinta-feira do mês, às 19h30. Em janeiro o trabalho não acontece, mas será retomado na terceira quinta de fevereiro. Interessados devem ligar para 99789-0927 para obter o endereço.

“As famílias podem participar de um ou mais encontros, parar e retornar quando sentirem vontade ou precisarem desse local de acolhimento”, disse uma das psicólogas responsáveis, Luciana Handa.

O Grupo de Prevenção ao Suicídio mantém ainda o atendimento psicológico social, que é individual. Os 16 psicólogos disponibilizam parte da sua agenda semanal e, juntos, têm somado 50 atendimentos por semana. O público-alvo é a pessoa em sofrimento que não tem plano de saúde ou condições de assumir atendimentos particulares.

Os interessados devem ligar para o mesmo número, 99789-0927, para o agendamento da triagem social. As sessões têm uma taxa mínima que garantem o comprometimento com o tratamento.   

Pelo mesmo celular, os psicólogos voluntários também estão abertos a promover rodas de conversas e realizar palestras onde forem chamados, como entidades e instituições.

Em parceria com a Casa Mais Mulher, na avenida Santo Antonio, nº 974 (em frente ao Colégio Gabriel Monteiro), o Grupo de Prevenção ao Suicídio faz um atendimento coletivo nesse local especificamente para mulheres com depressão, gratuitamente.

Neste ano o grupo pretende aumentar a adesão da população a esses trabalhos e vai abrir um grupo para quem já tentou suicídio e outro para familiares de quem já teve essa ação de risco contra própria vida.