População abandona cães e gatos na Fumares

Cães e gatos são deixados no trevo da rodovia SP-333 e seguem para Fumares

Por Izabel Dias

 

O abandono de cães e gatos é um problema grave que além desrespeitar a integridade dos animais, afeta toda estrutura de serviços de atendimento oferecida pelo poder público e por Organizações Não Governamentais. A Fumares (Fundação Mariliense de Recuperação Social), localizada na rodovia SP-333 vem se tornando local de abandono de animais. Cães e gatos são deixados no trevo da rodovia e seguem para Fumares, onde acabam recebendo carinho e os primeiros cuidados dos funcionários da entidade.

Mas a entidade não é destinada a esse tipo de atendimento e os funcionários tentam como podem alimentar os animais e oferecer para doação. Silvio Ricardo Filho, funcionário da Fumares, fez uma postagem em um grupo destinado a adoção de animais em Marília, falando sobre a situação.

Ele explica que por ser área rural e afastada da cidade, muitas pessoas abandonam animais ali. O problema é que os animais se reproduzem e não há estrutura para abrigá-los. “Só esse mês essa é a segunda cria de quatro gatinhos, a primeira conseguimos doar mas agora temos quatro para adoção, dois machos e duas fêmeas”, disse.

Eles também enfrentam falta de ração e necessitam de castração para os animais. “Por ser afastado da cidade fica difícil prestar assistência ideal como castrar, levar ao veterinário. E eles estão se reproduzindo. Hoje temos cinco cachorros, dois machos não castrados e 12 gatos, sendo dois machos não castrados e o restante de fêmeas”,

Silvio Ricardo vem mantendo contato com ONGs de proteção animal que possam ajudar na castração ou colaborar de alguma forma.  Também pessoas responsáveis que queiram adotar um cão ou gato, que busquem esses animais para oferecer um lar.

CRIME

Vale lembrar que a Lei Federal prevê prisão de três meses a um ano para quem pratica maus-tratos contra animais, além de multa. Em caso de morte do animal, a punição pode ser aumentada de um sexto a um terço.

É considerado maus-tratos: abandonar, ferir, mutilar ou envenenar, manter preso permanentemente em correntes, manter em locais pequenos e sem higiene, não abrigar do sol, da chuva e do frio, deixar sem ventilação ou luz solar, não dar comida e água diariamente, negar assistência veterinária ao animal doente ou ferido, obrigar a trabalho excessivo ou superior à sua força, utilizar animais em shows que possam lhe causar pânico ou estresse, capturar animais silvestres, promover violência como rinhas, farra-do-boi, dentre outros.