Cobertura vacinal em bebês tem falha de 22%

a população menor de um ano de Marília, 78% foi imunizada contra a doença

Foto: Divulgação

A cobertura vacinal de bebês contra febre amarela teve uma falha de 22% em 2019. Da população menor de um ano de Marília, 78% foi imunizada contra a doença. Considerando todas as demais idades, a rede municipal de Saúde registrou 6.763 doses do imunobiológico aplicadas neste ano.

Segundo o Ministério da Saúde, precisam se imunizar crianças a partir de nove meses e adultos até 59 anos. E desde abril de 2017, apenas uma dose da vacina confere imunidade para o resto da vida. Não é mais preciso tomar dose de reforço.

Ou seja, para quem ainda não foi vacinado, a orientação é receber a dose única. Acima de 60 anos, quem não está imune deve passar por avaliação técnica para ver se há contraindicação.

Dos 3.143 bebês menores de um ano de idade contabilizados em Marília em 2019, 2.454 receberam a vacina contra febre amarela. Os demais ou ainda estão suscetíveis à doença ou foram imunizados após essa idade, com atraso na rotina vacinal.

Em Marília, 276 crianças de um ano foram vacinadas em 2019, entre as de dois anos houve 36 imunizações, entre as de três anos, 22. E mais 15 crianças de quatro anos foram vacinadas. Foram aplicadas ainda 40 doses em crianças de cinco a nove anos, e 84 entre as de dez a 14 anos.  

O ano registrou o maior número de doses aplicadas contra febre amarela na faixa entre 15 e 59 anos de idade, 3.794. Todos os municípios paulistas estiveram em alerta contra a doença neste ano porque ela ressurgiu e avançou no estado.

A vacina sempre esteve disponível, mas a adesão diminuiu e fez a doença reemergir desde 2016, com aumento a partir do ano passado, em que houve 504 registros autóctones, com 176 óbitos, ou seja, letalidade de 35%. A rede básica de Marília disponibiliza o imunobiológico contra febre amarela em todos os postos de saúde para ser tomada a partir dos nove meses de vida.