Mercedes-Benz e Bosch vão investir R$ 70 milhões em campo de provas em Iracemápolis-SP

Além de servir para desenvolver tecnologias para caminhões e ônibus da Mercedes, e componentes da Bosch, o campo de provas também poderá ser alugado para outras empresas de carros, comerciais leves, motos e máquinas agrícolas.

As empresas alemãs Mercedes-Benz e Bosch anunciaram um investimento conjunto de R$ 70 milhões para a ampliação do campo de provas da fabricante de veículos em Iracemápolis (SP), onde já funciona a fábrica de automóveis da Mercedes. O valor, que será dividido igualmente entre as duas empresas, garantirá a construção de 5 novas pistas, boxes e escritórios. As obras terão início no ano que vem, e a inauguração será em 2021. Além de servir para desenvolver tecnologias para caminhões e ônibus da Mercedes, e componentes da Bosch, o campo de provas também poderá ser alugado para outras empresas de carros, comerciais leves, motos e máquinas agrícolas. “O centro está sendo preparado para ser o pilar do desenvolvimento do carro do futuro”, afirmou Besaliel Botelho, presidente da Bosch América Latina. Segundo Botelho, o local terá como foco as áreas de segurança veicular e eficiência energética. A construção do campo de provas também foi estimulada pelo novo regime automotivo brasileiro, o Rota 2030, que prevê parâmetros mais rigorosos de segurança e emissões para os próximos anos. A administração do local será feita por uma empresa terceirizada, responsável por manter a confidencialidade dos projetos. “Sabemos quanto é crucial para cada empresa manter o sigilo dos projetos”, afirmou o presidente da Mercedes-Benz do Brasil, Philipp Schiemer. O investimento marca a segunda fase de construção do local. A primeira, com dinheiro exclusivamente da Mercedes, foi inaugurada no ano passado. Essa estrutura, porém, continuará sendo administrada somente pela fabricante, e não será parte do consórcio com a Bosch. Schiemer afirmou que ainda não foi procurado por outras empresas para alugar o campo de provas. Porém, acredita que isso acontecerá em breve. Isso porque o local deve acelerar o desenvolvimento de veículos que serão vendidos no Brasil, além de poder baratear o preço final dos produtos. “Temos aplicações diferentes daquelas da Europa. Em muitos casos, temos que mandar veículos para a Alemanha para algum desenvolvimento específico. Com o campo de provas, vamos ganhar agilidade na adaptação de novas tecnologias”, concluiu o presidente da Mercedes-Benz. Entre as novas pistas, estão uma oval, de 2,6 km, para testes de alta velocidade. Outra, de 2 km, servirá para avaliar a dirigibilidade dos modelos. Ainda há uma superfície de 70 mil m² para avaliações de dinâmica veicular. Durante a construção, serão gerados 200 empregos. Porém, não haverá novas contratações para operar o campo de provas. A fábrica de Iracemápolis produz, atualmente, os modelos Classe C e GLA.