Quadro do pintor francês Renoir será restaurado pelo Masp

“(O restauro) é como um doutor que vê um paciente e precisa fazer uma série de análises antes de diagnosticar o problema.

O quadro “Rosa e Azul” do pintor impressionista Renoir, que está exposta no Museu de Arte de São Paulo (Masp) será restaurada em São Paulo.

Segundo a direção do museu, ele deve ser recolhido para iniciar o processo de restauro no começo de 2020.

“(O restauro) é como um doutor que vê um paciente e precisa fazer uma série de análises antes de diagnosticar o problema.

Então é muito importante entender quais são as características técnicas da obra e entender quais são as alterações presentes”, explica Sofia Hennen supervisora do núcleo de conservação e restauro do Masp.

O restauro dos quadros é feito dentro do próprio museu.

Os últimos quadros restaurados no MASP foram três obras de Portinari: Os Retirantes, Criança Morta e Enterro na Rede.

“Os pigmentos, as tintas, os aglutinantes, que a gente chama, são peças importantes do processo. A gente, por exemplo, retoca quando tiver perdas na pintura. Adiciona verniz para o brilho da obra, etc. Então funciona retirando matérias e adicionando matérias”, conclui Hennen.

Para custear a restauração da obra "Rosa e Azul", o MASP está arrecadando doações de restituições de imposto de renda (IR).

A campanha de doação do IR existe desde 2017 e ajudou a pagar as restaurações dos quadros do Portinari. Para isso, no ano passado, foram arrecadados R$ 485 mil. A meta deste ano é R$ 550 mil.