Malha Paulista tem prorrogação de 30 anos

                             Ferrovia

               Malha Paulista tem prorrogação de 30 anos

 

Trecho entre Panorama-Marília-Bauru vai ser reativado

 

O Tribunal de Contas da União (TCU) aprovou na terça-feira 26), em Brasília, a renovação antecipada da concessão ferroviária da Malha Paulista. Com isso, serão prorrogados os ramais ferroviários Bauru – Marília – Panorama. Entre os ramais que devem voltar a ser utilizados no transporte regular de cargas está uma rota de 350 quilômetros. O contrato da empresa Rumo, que venceria em 2028, ganhou mais 30 anos e se estenderá até 2058, com antecipação de investimentos da ordem de R$ 5,8 bilhões nos próximos seis anos, segundo o Ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas.

O projeto prevê a reconstrução de trechos da ferrovia implantados há mais de 50 anos. As obras devem proporcionar também aumento da capacidade da linha tronco da via, utilizada no transporte de cargas até o Porto de Santos. A reativação da malha ferroviária vai trazer desenvolvimento, emprego e geração de renda para a região.

O deputado estadual Reinaldo Alguz (PV-SP), um dos responsáveis pela reativação da malha ferroviária, destaca a viabilidade econômica no ramal Bauru-Marília-Panorama. “Essa renovação é um marco para o desenvolvimento da região. Foram vários anos trabalhando em prol da reativação da ferrovia, que será, sem sombra de dúvida, uma grande indutora de desenvolvimento e geração de emprego e de renda para todo o centro-oeste paulista. Os produtos da região vão ganhar em competitividade, o que vai proporcionar mais investimentos”. O deputado federal Enrico Misasi (PV-SP) afirma que “esse é um passo importante para colocar o Oeste e Noroeste Paulista na rota do desenvolvimento, sonho pelo qual trabalhamos lado a lado com o deputado Reinaldo Alguz e tantas pessoas”.

Quem é a Rumo?

A Rumo, responsável pela Malha Paulista, é a maior operadora de ferrovias do Brasil e oferece serviços logísticos de transporte ferroviário, elevação portuária e armazenagem. A companhia opera 12 terminais de transbordo, seis terminais portuários e administra cerca de 14 mil quilômetros de ferrovias nos estados de Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, São Paulo, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Minas Gerais, Goiás e Tocantins. A base de ativos é formada por mais de mil locomotivas e 28 mil vagões.

Neste sábado, os deputados estarão em Garça, no auditório da Secretaria de Educação do município, às 8 horas, para falar das potencialidades e oportunidades que surgem com a reativação da malha ferroviária.