Marília supera 2018 e termina na 10ª colocação dos Jogos Abertos

Abertura e encerramento do evento aconteceu no ginásio do Clube dos Bancários

Por Jorge Luiz/foto: Alexandre Lourenção

Marília sediou a 83ª edição dos Jogos Abertos do Interior e terminou na 10ª colocação geral entre as cidades que disputaram a 1ª Divisão, com 119 pontos – 49 a mais em relação a 2018, realizado em São Carlos.

O título acabou com São José dos Campos pelo terceiro ano consecutivo (249). Campeão na edição de Marília em 1962, Santos ficou agora em 2º lugar (242). O pódio foi completado por São Caetano do Sul, com 182.

Foram conquistadas 76 medalhas pela delegação mariliense. Como acontece em todos os anos, a Associação Mariliense de Esportes Inclusivos (Amei) foi a recordista para a cidade, com 60 pódios entre atletismo e natação ACD.

Foram: 26 de ouro, 22 de prata e 12 de bronze. O ciclismo subiu três vezes ao pódio (um de 1º e dois de 3º), assim como o tênis de mesa (uma de prata e duas de bronze) e o judô (uma prata e dois bronzes).

O atletismo teve uma medalha de prata e uma de bronze. Nas lutas, karatê e boxe ficaram com um bronze cada e nos esportes coletivos, o masculino sub-20 do futebol foi vice-campeão e o vôlei terminou em 3º lugar. A bocha adulta acabou com o bronze.

“O nosso resultado superou todas às expectativas, pois ficamos à frente de cidades que tinham cinco e até dez vezes mais orçamento que nós. Estou bastante orgulhoso de nossas equipes. Melhoramos também nossa colocação geral e acredito que esse desempenho foi o melhor da história da cidade nos Jogos Abertos”, declarou o secretário municipal de esportes, Eduardo Nascimento.

Legado

Depois de 57 anos, Marília voltou a sediar o maior evento da América Latina. Foram 17 mil pessoas em 11 dias de competições, sendo 15 mil atletas em 31 modalidades e 25 praças esportivas na cidade e na região.

“Uma satisfação muito grande sediar um evento desse porte, ainda mais em um momento difícil da economia nacional. Fomos muito elogiados pelos servidores estaduais, que nos disseram que a nossa edição foi a melhor da história. As delegações também gostaram demais da cidade e só falaram coisas boas. Também a receptividade nossa foi extraordinária com as diretoras das escolas estaduais, servidores municipais e parceiros”, lembrou Nascimento.

O secretário de esportes frisou o legado deixado para a cidade com a realização dos Jogos Abertos.

“As melhorias que foram feitas nas praças esportivas ficarão para os nossos atletas. Mostramos que temos estrutura para promover qualquer tipo de evento, pois atletas de grande nome vieram aqui para as disputas”, enfatizou. Com a realização dos Abertos, a atual gestão municipal sediou os principais eventos do Estado nesses três anos: Jogos do Idoso (2017), Jogos Regionais (2018), Jogos da Juventude (2019) e Jogos Abertos do Interior (2019).