Corte federal pode prejudicar mais da metade da população em Marília

Nova portaria do Ministério da Saúde revoga o financiamento do Núcleo de Apoio à Saúde da Família

Foto: Divulgação

Em Marília, 129.500 pessoas podem ser atingidas pela nova portaria 2.979 do Ministério da Saúde, que revoga o financiamento do Nasf (Núcleo de Apoio à Saúde da Família) da Política Nacional de Atenção Básica.

Sem o serviço, a população perde quatro equipes de profissionais especializados que fazem atendimento coletivo e acompanhamento individual.

Em Marília são quatro Nasfs, um por região da cidade, somando 26 profissionais. Dois deles contam com terapeuta ocupacional e os quatro têm dois fisioterapeutas, educador físico, psicólogo, nutricionista e assistente social.  

Os quatro Nasfs de Marília estão vinculados à ESF (Estratégia de Saúde da Família) que, no município, corresponde a 37 unidades, cada uma abrangendo 3.500 pessoas.

Entre elas, muitas já utilizam o Núcleo de Apoio e mesmo as que hoje não necessitam, são usuárias em potencial, sendo prejudicadas também pela perda do financiamento.

“O novo formato de financiamento do Ministério da Saúde visa reduzir custos e corta, a partir de janeiro, o financiamento dos Municípios para a manutenção dos Nasfs. Só que o Núcleo de Apoio à Saúde da Família tem um grande impacto na Atenção Básica.

Sem ele, muitos usuários do SUS perderão atendimento e vai aumentar a demanda por especialistas na rede. Sem contar a perda do emprego em postos de assistência SUS para a população”, mencionou a fisioterapeuta do Nasf da zona sul, Beatriz Antico.

Os Núcleos de Apoio à Saúde da Família mantêm grupos diversos de promoção à saúde e prevenção de doenças num contato intersetorial com a comunidade, estando inseridos em escolas, igrejas, centros comunitários.

Há, por exemplo, grupos de nutrição, de ginástica, de resultados de exames, e de cuidadores para apoiá-los no cuidado a pacientes acamados.

“São muitos os grupos formados de acordo com a necessidade de cada comunidade e, além disso, fazemos o acompanhamento de pacientes acamados e de pacientes com casos específicos enquanto aguardam encaminhamento para o atendimento especializado”, disse a fisioterapeuta do Nasf da zona sul. Somente ela atende pelo menos 150 pessoas por mês atualmente.

Petição tenta derrubar portaria federal

Uma petição em nível nacional tenta derrubar a portaria 2.979 que revoga o financiamento do Núcleo de Apoio à Saúde da Família. A ação começou em Pernambuco e se espalhou pelo Brasil.

Marília participa, pedindo o apoio dos usuários do Nasf e da população em geral. O link da petição está sendo propagado na mídia e redes sociais : www.abaixoassinado.org/abaixoassinados/48364.