Mariliense é 3º lugar nos EUA e segue na briga por vaga nas Olimpíadas de Inverno

Gustavo dos Santos Ferreira compete na modalidade ‘monobob’, categoria juventude (até 18 anos)

Por Jorge Luiz/foto: Divulgação

O mariliense Gustavo dos Santos Ferreira conquistou medalha de bronze nas duas etapas do “Omega Youth Series Competition” de Bobsled da Juventude (até 18 anos), realizado nos dias 20 e 21, em Lake Placid (uma vila nas Montanhas Adirondack no Condado de Essex), em Nova Iorque (Estados Unidos).

Ele disputou a modalidade ‘monobob’ (trenó de uma pessoa) e em ambas etapas ficou atrás do sul-coreano Jimin Kim e do croata Toni Nimac.

“Sem palavras para descrever esses dois dias de competição. Um grande presente no dia do meu aniversário (completou 17 anos no último dia 20). Sou muito grato a Deus. Estou muito emocionado por estar representando meu País”, declarou o mariliense, em uma de suas redes sociais.

Gustavo Ferreira busca classificação para os Jogos Olímpicos da Juventude de Inverno, em Lausanne, na Suíça, de 9 a 22 de janeiro.

Em fevereiro deste ano, ele disputou duas etapas e nem chegou a ficar perto dos primeiros colocados. Em São Moritz (Suíça), o mariliense terminou na 21ª colocação e na cidade de Konigssee (Alemanha), acabou em 17º lugar.

As duas últimas etapas acontecem no próximo mês (dias 7 e 8) em Park City, nos Estados Unidos.

Gustavo dos Santos Ferreira ingressou no bobsled (trenó no gelo) há exatamente um ano, quando foi aprovado na seletiva da Confederação Brasileira de Desportos no Gelo. O mariliense fazia parte da equipe de atletismo da Secretaria de Esportes, Lazer de Juventude (SELJ).

Marília no bobsled

Gustavo mantém a tradição de Marília em ter representantes no bobsled. A Seleção Brasileira Adulta tem Edson Ricardo Martins, que está neste esporte do gelo há cinco anos e disputou duas Olimpíadas de Inverno: 2014 (Rússia) e 2018 (Coreia do Sul).

Também nessa semana, ele disputou a Copa América no trenó para quatro pessoas, em Lake Placid, e terminou na 10ª colocação.

O bobsled é considerado a Fórmula 1 do gelo. A formação é com equipes de duas ou quatro pessoas que fazem corridas em estreitas trilhas de gelo com um trenó (formato de um carrinho).

Já o skeleton é praticado individualmente onde o atleta desliza de bruços em um trenó (formato de uma prancha) sobre o gelo.