Marília beira três mil vítimas em 2019

Epidemia do primeiro semestre serve de alerta com a volta das chuvas e o clima quente

Arte JM

Marília beirou os três mil casos de dengue nos primeiros dez meses do ano. Foram 2.944 vítimas autóctones, que contraíram o vírus na cidade, e mais 31 importadas (contraíram a doença em viagem). O período de maior incidência foi maio, com 1.205 contaminações.

A epidemia do primeiro semestre serve de alerta com a volta das chuvas e o clima quente.

Os casos aumentaram progressivamente de janeiro a maio, saindo de 22 vítimas no primeiro mês do ano e chegando ao pico de 1.205 no quinto mês. Em junho os exames confirmaram 495 contaminações, baixando para 121 em julho e 42 em agosto.

O mês de setembro teve apenas nove casos e em outubro, sete, o mês de menor número no ano. Os casos de novembro ainda não foram computados pelo CVE (Centro de Vigilância Epidemiológica) da Secretaria de Estado da Saúde.

A Saúde Municipal alerta para o clima quente e a volta das chuvas, quando começa o período de maior risco de transmissão.

“A melhor forma de prevenção da dengue é evitar a proliferação do mosquito Aedes Aegypti, eliminando água armazenada que pode se tornar criadouro, como em vasos de plantas, lagões de água, pneus, garrafas plásticas, piscinas sem uso e sem manutenção, e até mesmo em recipientes pequenos, como tampas de garrafas”.

A pasta alertou que roupas que minimizem a exposição da pele durante o dia - quando os mosquitos são mais ativos - proporcionam alguma proteção às picadas e podem ser uma das medidas adotadas, principalmente durante os surtos de dengue.

“Repelentes e inseticidas também podem ser usados, seguindo as instruções do rótulo. Mosquiteiros proporcionam boa proteção para aqueles que dormem durante o dia, como bebês, pessoas acamadas e trabalhadores noturnos”.

Segundo a pasta, o trabalho de visitas domiciliares segue intenso em toda a cidade, bem com os vistorias em pontos estratégicos (grandes instalações, ferro-velho, escolas, hospitais, indústrias, entre outros)

Os sintomas de dengue a serem observados são: febre alta (> 38.5ºC); dores musculares intensas, dor ao movimentar os olhos; mal estar; falta de apetite; dor de cabeça; e manchas vermelhas no corpo.

Campinas foi a cidade com maior número de casos em 2019 no estado de São Paulo até o momento: 26.210 autóctones e 32 importados. Em Bauru, a epidemia chegou a 26.018 autóctones e 25 importados (no total parcial até outubro).