Estado atende 436 mulheres em Marília, 6 tiveram resultado suspeito

Pacientes que necessitam passarão por exame complementar no HC

Por Ana Carolina Godoy / Foto: Divulgação

O Mutirão de Mamografia feito em Marília nas duas últimas semanas atingiu 436 pacientes da cidade e região. Desse montante, seis tiveram resultado suspeito e necessitam de exame complementar, o que será feito pelo Hospital das Clínicas nas próximas semanas.

A Carreta Mulheres de Peito percorreu as regiões do estado por conta do Movimento Outubro Rosa, de prevenção ao câncer de mama. Em Marília, ela ficou estacionada no Hospital das Clínicas de 22 a 31 de outubro.

A carreta recebeu demanda espontânea (livre procura) de mulheres de 62 municípios da região com idade acima de 35 anos. Só que as pacientes de até 49 anos tinham que ter o pedido médico.

O diagnóstico foi dado à distância pelo Serviço de Imagem da Secretaria de Estado da Saúde. De acordo com o Hospital das Clínicas, do total de 436 mamografias, seis apresentaram resultado suspeito, com necessidade de compressão mamária complementar.

O procedimento será feito pelo HC sem fila de espera, nas próximas semanas. O percentual de suspeita foi de 1,37% entre todas as mamografias realizadas no mutirão, o que ainda não indica necessariamente o câncer de mama, já que é necessário a continuidade da avaliação.

Em acordo com o Inca (Instituto Nacional do Câncer), até o final do ano estima-se chegar a 59.700 novos diagnósticos de câncer de mama em 2019 no Brasil, o que representa uma taxa de incidência de 56,33 casos por 100.000 mulheres.

Na proporção, a taxa de mamografias suspeitas durante o mutirão poderia ter sido de 0,24%, mas foi maior (1,37%). Isso pode ser explicado pelo fato de que várias mulheres que aproveitaram a oportunidade do mutirão já tinham suspeita e/ou encaminhamento médico ou histórico familiar.

O objetivo do mutirão foi justamente facilitar o acesso público à mamografia, favorecendo diagnóstico e tratamento precoce nos casos positivos.