Marília cai no ranking do índice Firjan

Índice acompanha desenvolvimento socioeconômico de mais de 5 mil municípios

 

O município de Marília caiu no ranking do Índice Firjan de Gestão Fiscal. O levantamento foi divulgado semana passada e mostra dados de 2018. A Prefeitura de Marília caiu 198 posições no ranking em comparação com o levantamento de 2017.

O IFDM – Índice FIRJAN de Desenvolvimento Municipal – é um estudo do Sistema FIRJAN que acompanha anualmente o desenvolvimento socioeconômico de todos os mais de 5 mil municípios brasileiros em três áreas de atuação: Emprego & renda, Educação e Saúde. Criado em 2008, é feito exclusivamente com base em estatísticas públicas oficiais, disponibilizadas pelos ministérios do Trabalho, Educação e Saúde.

As próprias prefeituras declaram as informações à Secretaria do Tesouro Nacional que alimentam o índice dividido nos indicadores: autonomia, gastos com pessoal, investimento e liquidez.  

Marília aparecia no 1.887º lugar em 2017 no ranking geral. Em 2018 caiu para posição 2.085. Na avaliação do ranking estadual, Marília foi da 324ª posição para 390º. A pontuação dos municípios varia entre zero e 1 e quanto mais a pontuação se aproxima de 1, melhor a gestão do município. Marília obteve nota 0,4974 em 2017 e 0,5275 no ano passado. A reportagem do Jornal da Manhã encaminhou email para Prefeitura solicitando uma posição sobre  o levantamento mas não obteve resposta até o fechamento da edição.

NACIONAL

O índice FIRJAN analisou  5.337 municípios e Costa Rica (MS), Gavião Peixoto (SP), São Pedro (SP) e Alvorada (TO) foram os únicos que receberam notas máximas em todos os indicadores do Índice de Gestão Fiscal da Firjan (IFGF). IFGF Autonomia, IFGF Gastos com Pessoal, IFGF Liquidez e IFGF Investimentos são indicadores que compõem o estudo que tem como base os dados fiscais oficiais de 2018.

Do total de municípios analisados,  47% estão em situação crítica de gestão fiscal e usam menos de 3% do orçamento em investimentos. Apenas 419 municípios, cerca de 15% das cidades, usaram mais de 12% da receita total em investimentos.