Marília vai ter seminário de Cannabis Medicinal

Objetivo é promover o acesso à informação e vivência sobre a temática

 

Por Ana Carolina Godoy / Foto Reprodução

 

A Escola da Defensoria Pública do Estado promove o 1º Seminário de Cannabis Medicinal em Marília, junto com a Associação Anjos Guerreiros e a MALÉLI. O objetivo é promover o acesso à informação de qualidade e vivências sobre a temática.

O evento será realizado no dia 23 de novembro, no Anfiteatro da Reitoria da Unimar, das 8h às 18 horas. As vagas são limitadas e as inscrições já estão abertas. A adesão é gratuita. Pede-se apenas que os participantes levem doações de alimento não perecível ou de fralda juvenil ou adulto.

Profissionais renomados das Ciências Médicas e do Direito vão estar nos seminário para um amplo debate com a sociedade.

“Trata-se de um evento inédito em Marília, que estamos preparando com muito carinho e dedicação, com a intenção de levar informação à população e aos profissionais da saúde”, mencionou a voluntária Cláudia Marin, da Associação Anjos Guerreiros.

Entre os temas das palestras em saúde estão:

“Cannabis Medicinal: Desafios no Brasil para tratamento da Epilepsia, Autismo e Transtornos Psiquiátricos”; “Cannabis Medicinal: terapêutica canábica na dor crônica, nas doenças inflamatórias, autoimunes e degenerativas”; “Cannabis Medicinal: abordagem terapêutica em Geriatria e Oncologia”; e “Farmacologia da Cannabis Medicinal e o Sistema Endocanabinóide”.

Na área jurídica estão: “Não seria criminosa a criminalização do uso de drogas?”; e “Do Estado Legislativo ao Estado Constitucional: a responsabilidade do Judiciário na concretização dos direitos fundamentais”.

E haverá também uma roda de conversa com o tema “Cenário nacional da Cannabis Medicinal: Percursos e desafios para a Regulamentação de que precisamos”.

As inscrições são feitas pelo site https://www.neatox.com.br/, do Núcleo de Estudos Avançados em Toxicologia. Basta acessar o link inscrições na página inicial e clicar no 1º Seminário de Cannabis Medicinal do Centro-Oeste Paulista.

O evento tem o apoio da APSP - Associação Paulista de Saúde Pública, SBEC - Sociedade Brasileira de Estudos da Cannabis, da Famema, Unimar e da Federação Brasileira de Epilepsia.