Cuidadora do irmão perde benefício

Os dois passam necessidade financeira. Enquanto a Defensoria Pública não consegue reverter a situação, a família pede ajuda à sociedade

Por Ana Carolina Godoy / Foto Divulgação

A cuidadora do irmão acamado, Aurora Baldenebro, perdeu o benefício do aluguel social, a que tinha direito junto ao Município. Os dois passam necessidade financeira por conta disso. Enquanto a Defensoria Pública não consegue reverter a situação, a família pede ajuda à sociedade.

Aurora parou de trabalhar há anos porque seus dois irmãos adoeceram e se tornaram acamados. Ambos possuíam o BPC (Benefício de Prestação Continuada) de um salário mínimo.

Mesmo assim, o custo de sustento das necessidades dos pacientes ultrapassava essa quantia e a cuidadora contava com um aluguel custeado pela Prefeitura de R$ 800,00.

Porém, como os cuidados dos dois irmãos totalmente dependentes eram muito intensos, Aurora recorreu ao Ministério Público para conseguir vaga em asilo para pelo menos um deles.

“Durante esse trâmite, minha irmã faleceu (um ano atrás) e em junho deste ano saiu a vaga para meu irmão na Mansão Ismael, mas ele ficou lá apenas 20 dias porque chorava a cada visita e resolvi leva-lo comigo”.

O problema, segundo Aurora, é que ela tinha perdido o aluguel social quando o irmão foi para a Mansão Ismael e, mesmo tendo tirado ele do asilo não conseguiu reaver a ajuda.

“Se meu irmão tivesse se adaptado na Mansão, ele usaria seu BPC na entidade e meu plano era voltar a trabalhar. Só que não consegui deixá-lo mais lá porque ele sentiu muita falta de casa”, contou.

A cuidadora procurou a Defensoria Pública, mas a Prefeitura negou o pedido. “Estamos recorrendo, mas leva tempo”, disse a cuidadora do irmão, que atualmente vive com ele na casa de uma filha dela.

“Estamos em grande dificuldade financeira porque o salário dele paga poucas contas e algumas das necessidades que ele tem por sua condição especial”.

O irmão de Aurora tem 72 anos, está cego, doente e com uma perna amputada. O paciente recebe fraldas na unidade de saúde, mas Aurora disse que não tem conseguido suprir a alimentação necessária.

A ajuda da sociedade pode ser encaminhada à rua José Camargo Oliveira, nº 315, no Jardim Bandeirantes, zona oeste. Ou é possível ligar para 99684-3406.