Medex está com cerca de 20 itens em falta e nega informar quais são

A farmácia pública, em Marília, é vinculada à Secretaria de Estado da Saúde para fornecimento de medicação de alto custo

Por Carolina Godoy/Foto: Edio Jr./JM

 

 

A Medex está com pelo menos 20 tipos de remédio em falta. A farmácia pública, em Marília, é vinculada à Secretaria de Estado da Saúde para fornecimento de medicação de alto custo. O problema é ainda mais grave porque o serviço se nega a informar a lista de itens sem estoque.

O aposentado Antonio Sanches Martins esteve na Medex na última sexta-feira e deixou a farmácia sem a medicação da esposa. A equipe de reportagem do Jornal da Manhã apurou a falta de pelo menos 20 itens, alguns deles desde o começo do mês e sem previsão de reposição do estoque.

“É um absurdo a falta de gestão. Não há planejamento. Ninguém conta com os atrasos e imprevistos. Esses remédios são para tratamentos sérios, muitos de uso contínuo dos pacientes. O estado tinha que efetuar essas compras com mais organização e antecedência”, disse o aposentado.

“Tinha que ter uma lista aqui informando a gente sobre o que está em falta”, reclamou a professora Maria Angela Gentile, que estava aguardando sua vez na farmácia do Estado.

A equipe de reportagem do JM esteve na Medex ontem de manhã e solicitou a lista dos itens faltantes à direção do serviço, que respondeu apenas que os funcionários não têm autorização do Estado para dar entrevista nem informações, ainda que sejam públicas.

A direção afirmou que esse tipo de informação é dada aos usuários do serviços, mas entre as cerca de 50 pessoas que aguardavam atendimento na Medex ontem, nenhuma sabia se receberia ou não a medicação que foi buscar. “Se eles têm dúvidas basta que perguntem”, disse um funcionário.

No entanto, a professora Maria Angela reiterou que seria muito mais fácil a farmácia tornar a lista disponível para consulta. “Assim não correria o risco da gente esperar horas em vão. Como é que todo mundo que chegar aqui vai ficar perguntando do seu remédio se é preciso pegar senha e aguardar o atendimento”.

O aposentado Antonio Sanches Martins também afirmou que já chegou a aguardar por duas horas para só depois vir a saber que o remédio que precisava estava em falta. “Isso porque a Medex não divulga a lista do que não tem”, destacou.

Secretaria de Estado da Saúde

O Jornal da Manhã enviou o questionamento sobre a lista dos medicamentos em falta à Secretaria de Estado da Saúde que também se negou a informar, limitando-se a dizer que os remédios que não estão em falta correspondem a 92% do total fornecido.

A pasta argumentou que realiza “planejamento periódico de compras, com base no consumo e mais uma margem de segurança para garantir abastecimento. Mas, alguns fatores, alheios ao planejamento da pasta, podem ocasionar desabastecimentos temporários, como atraso por parte do fornecedor e logística de distribuição do Ministério da Saúde”.

A Saúde frisou que os usuários podem contatar o “Fale Conosco” da secretaria, disponível em: http://www.saude.sp.gov.br/fale-conosco.