Postos de Marília vão repassar Reajuste no diesel e na gasolina

ontem de manhã muitos postos em Marília ainda praticavam o mesmo preço no diesel e na gasolina

Ontem de manhã muitos postos em Marília ainda praticavam o mesmo preço no diesel e na gasolina. Porém, a informação já era de aumento a qualquer momento, conforme anunciado pela Petrobras na quarta-feira: 4,2% no diesel e 3,5% na gasolina. O motivo é o ataque a instalações petrolíferas da Arábia Saudita.

Os reajustes aos consumidores finais, nos postos, dependem de diversas variáveis, como margens de distribuidoras e revendedoras, tributos e mistura de biocombustíveis. Mas o fato é que o repasse vai acontecer.

O gerente de posto de combustível em Marília, Rogério Castro, mencionou que o reajuste vai depender do valor de compra e não soube informar se o aumento aconteceria ainda ontem, ao longo do dia ou se o proprietário do estabelecimento esperaria até a próxima semana. “Sabemos que a gasolina com certeza terá uma elevação”.

“De novo. O ataque acontece lá (Arábia Saudita) e a gente sente aqui. O governo federal prometeu tanto, mas na prática não segura nada”, disse o autônomo Joel de Souza e Silva, que abasteceu ontem seu veículo com diesel, ainda no preço sem aumento.

Na última segunda-feira o presidente Jair Bolsonaro disse que a estatal não planejava aumentar de imediato os valores dos combustíveis, indicando que a empresa poderia afrouxar temporariamente sua regra de preços de mercado. O aumento foi anunciado pela Petrobras dois dias depois.

“Os postos estão repassando o reajuste da Petrobras. Semana retrasada e passada a estatal repassou dois aumentos na gasolina e óleo diesel. Hoje (ontem) os pedidos já chegaram com R$ 0,09 centavos a mais no diesel e R$ 0,07 na gasolina. Isso devido aos ataques nos campos de petróleo do Irã e mais as variações no câmbio”, disse o presidente regional do Sincopetro (Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Estado de São Paulo), Gustavo César Henrique da Silva.

O aposentado Sérgio Baroni foi pego de surpresa e disse que como seu carro é flex, vai optar por continuar abastecendo com álcool. “Por enquanto, está compensando, mas está caro também, mesmo com tanto incentivo”.

O presidente sindical ressaltou que “não há como segurar reajustes dessa magnitude, haja vista que todos os postos estão trabalhando com margens irrisórias”.