Marcos Rezende salienta o respeito às crianças e defende fim da erotização precoce na infância

O presidente da Câmara Municipal de Marília, vereador Marcos Rezende (PSD), se posicionou favoravelmente a duas ações de governantes brasileiros que, em respeito às crianças e menores de idade, solicitaram a retirada de publicações com apologia de ideologia de gênero.

O presidente da Câmara Municipal de Marília, vereador Marcos Rezende (PSD), se posicionou favoravelmente a duas ações de governantes brasileiros que, em respeito às crianças e menores de idade, solicitaram a retirada de publicações com apologia de ideologia de gênero.

 

O primeiro ato foi do governador de São Paulo, João Doria (PSDB), que retirou da rede de ensino 350 mil livros didáticos.

 

As apostilas traziam conceitos de sexo biológico e identidade de gênero. “Concordo tanto com o governador João Dória, que em atitude correta retirou as apostilas dos colégios estaduais e ainda fez a seguinte declaração: não é razoável que crianças e adolescentes tenham esse tipo de assunto na escola”, considerou Doria.

 

Dias depois, o prefeito do Rio de Janeiro, bispo Marcelo Crivella (PRB), veio a público para solicitar o recolhimento de gibi com temática LGBTI. A publicação estava exposta na Bienal do Livro sem as precauções necessárias, conforme o próprio prefeito explicou: material assim deveria conter advertência do assunto e estar devidamente embalado.  “Vivemos uma esquizofrenia coletiva, pois de um lado temos políticas públicas e propagandas contra a exploração sexual e abuso infantil. De outro, uma sociedade hipersexual onde música, mídias e até material didático estimulam crianças à erotização precoce”, comentou o vereador.

 

Para Marcos Rezende, a erotização precoce é algo a ser combatido em todos os níveis de governo [Municipal, Estadual e Federal]. “Nessa confusão toda provocada pela compulsão coletiva e dos meios de comunicação de fundo sexual”, prossegue, “está um ser indefeso, vulnerável e que merece dignidade e proteção especial: a criança”, disse.

 

O vereador observou que não se trata de repressão ou moralismo, mas, acima de tudo, respeito. Na semana passada, o presidente da Câmara participou do treinamento oferecido pelo grupo #Soufamília, coordenado pela professora Mary Hebling de Lima e pelo reverendo Ismael de Lima.

 

Na oportunidade, o juiz federal Dr. Cláudio Canata palestrou sobre a família e os meios de proteção à infância e às crianças. “Oportunidades assim são altamente salutares. A família é um valor que defendo e sempre defenderei, pois os pais e os filhos são a base da sociedade”, concluiu.