DIVISÃO MAC precisa da inspiração de 2002 para vencer a Francana

O jogo de hoje (dia 6), às 20h, não é eliminatório e nem dará título ou acesso para ninguém

No dia 26 de maio de 2002, o Marília Atlético Clube (MAC) conseguia uma vitória histórica por 3 a 0 contra a Francana, na final do Campeonato Paulista da Série A-2, no estádio Bento de Abreu e conquistava o título e o acesso para a elite depois de 10 anos. Na ocasião, somente um placar por três gols de diferença dava o troféu de campeão ao Alviceleste, que havia perdido o primeiro duelo em Franca por 2 a 0.

 

Neste Paulista da 4ª Divisão de 2019, os dois voltam a jogar no Abreuzão em situação semelhante a de 2002.

 

Na rodada passada, a Francana levou a melhor em casa, vencendo por 3 a 1. O jogo de hoje (dia 6), às 20h, pela abertura do returno desta 3ª fase, não é eliminatório e nem dará título ou acesso para ninguém, mas caso o Marília não consiga a vitória (e não precisa ser por três gols de diferença), pode ver seriamente ameaçada as chances de classificação para as quartas de final.

 

O MAC está na 3ª colocação do ‘Grupo 13’ com três pontos – quatro a menos que a Francana e um atrás do vice-líder Catanduva FC, que joga neste domingo, às 10h, em casa, diante do Tupã (4º lugar com 3). Restam três rodadas para o fim desta 3ª fase e somente os dois primeiros colocados seguem na competição.
No estádio Bento de Abreu, o Alviceleste está invicto nesta ‘Bezinha’ com cinco vitórias e quatro empates. Além disso, o time não sabe o que é perder em casa desde o dia 24 de fevereiro de 2018, quando foi derrotado pelo Atibaia (2 a 1), no Paulista da Série A-3. De lá para cá são 12 partidas de invencibilidade como mandante.

Time sem definição

Ontem à noite (dia 5), foi realizado o último treino no Abreuzão, antes da partida e assim como na quarta-feira, o trabalho foi com portões fechados. Para a vaga do lateral-direito Mateus Mima, suspenso pelo terceiro cartão amarelo, a tendência é que o zagueiro Raphael seja deslocado para o setor, já que Matheus Pivô ainda não reúne boas condições físicas, pois voltou essa semana aos treinos normais, depois de se recuperar de lesão.

Com Raphael sendo deslocado para a lateral-direita, abre uma vaga na defesa. A informação apurada é que na quarta-feira o titular foi Guilherme Café ao lado de Gutierrez, e Brunão mais uma vez ficou de fora. Em entrevista ao JM, o defensor disse não entender o motivo de ter deixado o time titular nas duas últimas partidas. “Também fiquei sem entender por que não fui nem relacionado para o jogo em Franca. O Ricardo conversou comigo e disse que queria fazer o rodízio, porque confia nos quatro zagueiros. Eu não entendi muito essa lógica, mas respeito, só que em partes eu não concordo”, afirmou.

Outra provável mudança de Ricardo Costa é a volta do atacante Breno, no lugar do volante Eduardo. Recuperado de lesão muscular, o atacante PH voltou aos treinos nesta semana, mas o treinador já adiantou que ele não será relacionado para o jogo. Outro desfalque certo é o goleiro Ian, que sofreu uma fratura no dedinho da mão direita no treino da semana passada e ficará mais 15 dias fora.
Francana

A Francana pode terminar essa 4ª rodada da terceira fase já classificada para as quartas de final, mas para isso terá que vencer o MAC e torcer por uma vitória do Catanduva FC em casa, neste domingo, às 10h, contra o Tupã. Como visitante nesta ‘Bezinha’, o clube tem um aproveitamento de 53,3% com: quatro vitórias, quatro empates e duas derrotas.

Para encarar o Marília, o técnico Alexandre Ferreira irá manter o time titular, que venceu o adversário em Franca por 3 a 1. A única dúvida é o zagueiro Adriano, que reclama de dores musculares, mas viajou com a delegação. Caso não possa atuar, o substituto será Tom. Pelo segundo jogo consecutivo, o atacante Otávio está no departamento médico e é desfalque.
Alysson Fernandes Matias será o árbitro de hoje. Ele será auxiliado por: Gustavo Rodrigues de Oliveira e Alex Alexandrino.

Marília – Geílson; Raphael, Gutierrez, Guilherme Café (Brunão) e Lucas Praxedes; Hebert, Mykaell e Ícaro; Erik Bessa, Breno e Lucas Lima. Técnico: Ricardo Costa

Francana – Felipe, Juninho, Léo Santos, Adriano (Tom) e Picuíra; Vam Baster, Gustavo, Matheus Gabriel e Bileu; Robinho e João Vitor. Técnico: Alexandre Ferreira.