"Benzinho" e "O Grande Circo Místico" são os grandes vencedores do Grande Prêmio do Cinema

Cada um dos longas levou seis estatuetas na premiação

Aconteceu na última quarta-feira (14) mais uma edição do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro. Pela primeira vez em 18 anos, a festa migrou do Rio de Janeiro para São Paulo e foi realizada no Theatro Municipal da capital paulista.

Segundo a Academia Brasileira de Cinema, o evento passa a integrar o Agendão, calendário cultural integrado do programa São Paulo Capital da Cultura, da Secretaria Municipal de Cultura, e o Programa SP Audiovisual, do Governo do Estado.

No total, foram 34 categorias premiadas.

A atriz Zezé Motta foi a homenageada especial da noite.

A festa contou ainda com a apresentação de Ney Matogrosso, que cantou “Um Pouco de Calor”, trilha do filme “Ralé” (2015), estrelado pelo próprio cantor.

Campeão de indicações - 12 no total -, “Chacrinha: O Velho Guerreiro”, levou três estatuetas: Melhor Som, Melhor Ator (Stepan Nercessian) e Melhor Longa-metragem (Voto Popular).

“Benzinho”, de Gustavo Pizzi, foi o grande vencedor da festa, com seis vitórias no total, incluindo Melhor Atriz (Karine Telles), Melhor Atriz Coadjuvante (Adriana Esteves) e Melhor Longa-metragem de Ficção.

“O Grande Circo Místico” também ficou com seis prêmios, incluindo Melhor Direção de Arte e Melhor Figurino.

Lista completa de vencedores:

Melhor Longa-Metragem Ficção: "Benzinho", de Gustavo Pizzi

Melhor Longa-Metragem Documentário: "Ex Pajé", de Luiz Bolognesi

Melhor Longa-Metragem Infantil: "Detetives Do Prédio Azul 2 - O Mistério Italiano", de Viviane Jundi

Melhor Longa-Metragem Comédia: "Minha Vida Em Marte", de Susana Garcia

Melhor Direção: Gustavo Pizzi, por "Benzinho"

Melhor Atriz: Karine Teles, por "Benzinho"

Melhor Ator: Stepan Nercessian, por "Chacrinha: O Velho Guerreiro" (de Andrucha Waddigton)

Melhor Atriz Coadjuvante: "Adriana Esteves", por Benzinho

Melhor Ator Coadjuvante: "Matheus Nachtergaele", por O Nome Da Morte (De Henrique Goldman)

Melhor Direção de Fotografia: Gustavo Hadba, Abc, por "O Grande Circo Místico"

Melhor Roteiro Original: Karine Teles e Gustavo Pizzi, por "Benzinho"

Melhor Roteiro Adaptado: Carlos Diegues e George Moura, por "O Grande Circo Místico"

Melhor Direção de Arte: Artur Pinheiro, por "O Grande Circo Místico"

Melhor Figurino: Kika Lopes, por "O Grande Circo Místico"

Melhor Maquiagem: Catherine Leblanc Caraes e Emmanuelle Fèvre, por "O Grande Circo Místico"

Melhor Efeito Visual: Marcelo Siqueira, Abc e Thierry Delobel, por "O Grande Circo Místico"

Melhor Montagem Ficção: Livia Serpa, por "Benzinho"

Melhor Montagem Documentário: Gustavo Ribeiro e Rodrigo De Oliveira, por "Todos Os Paulos Do Mundo"

Melhor Som: Jorge Saldanha, Armando Torres Jr, Abc, Alessandro Laroca, Eduardo Virmond Lima e Renan Deodato, por "Chacrinha: O Velho Guerreiro"

Melhor Trilha Sonora Original: Elza Soares e Alexandre Martins, por "My Name Is Now", Elza Soares

Melhor Trilha Sonora: Zeca Baleiro, por "Paraíso Perdido" (De Monique Gardenberg)

Melhor Longa-Metragem Estrangeiro: "Infiltrado Na Klan/ Blackkklansman" (Eua), De Spike Lee.

Melhor Longa-Metragem Ibero-Americano: "Uma Noite De 12 Anos/La Noche De 12 Años" (Argentina, Espanha, Uruguai), De Álvaro Brechner.

Melhor Longa-Metragem De Animação - Menção Honrosa: "Peixonata - O Filme"

Melhor Curta-Metragem Animação: "Lé Com Cré", de Cassandra Reis

Melhor Curta-Metragem Documentário: "Cor De Pele," de Livia Perini

Melhor Curta-Metragem Ficção: "O Órfão", de Carolina Markowicz

Melhor Série Brasileira De Animação: "Irmão Do Jorel", de Juliano Enrico

Melhor Série Brasileira De Documentário: "Inhotim" - Arte Presente

Melhor Série Brasileira De Ficção: "Escola De Gênios - 1ª Temporada"

 

Categorias de voto popular:

Melhor Longa-Metragem Ficção - Voto Popular: "Chacrinha: O Velho Guerreiro", de Andrucha Waddington.

Melhor Longa-Metragem Documentário - Voto Popular: "My Name Is Now", Elza Soares, de Elizabete Martins Campos

Melhor Longa-Metragem Estrangeiro - Voto Popular: "Nasce Uma Estrela/A Star Is Born" (Eua), de Bradley Cooper.

Melhor Longa-Metragem Ibero-Americano - Voto Popular: "Uma Noite De 12 Anos/La Noche De 12 Años" (Argentina, Espanha, Uruguai), De Álvaro Brechner.