Semear Marília: Construção da sede entra em fase final

ONG espera que promessa de asfaltar rua da nova escola seja cumprida

O Projeto Semear Marília, no Jardim Universitário, zona oeste, deve concluir sua sede em agosto.

 

A pedra fundamental foi lançada em março do ano passado e a obra de 700 m² ganhou agilidade com o sistema steel frame, mais rápido, limpo e ecológico.

 

Desde 2013, o atendimento às crianças de baixa renda ocorre em espaço adaptado, no quintal de uma funcionária que cedeu o espaço.

 

A ONG angaria fundos para equipar e mobiliar o novo prédio.


A construção foi custeada através de parceiros, entre pessoas físicas e jurídicas.

 

E a arrecadação continua para estruturar o espaço.

 

“Nossa previsão de término da obra é agosto e pretendemos transferir todo trabalho da entidade o quanto antes, mas primeiro precisamos mobiliar e equipar as salas”, disse o coordenador geral do Projeto Semear Marília, Breno Ortiz Tavares Costa.


Os 11 cômodos incluem recepção com escritório; auditório; sala de aula; sala de informática e biblioteca; sala de música; sala de modalidades esportivas, como danças e jiu jitsu; cozinha; refeitório; depósito; lavanderia e vestiário.

 

Além de pátio arborizado e quatro banheiros (masculino, feminino, para funcionários e com acessibilidade).

 

O livro de ouro para efetuar doações está exposto no Auto Posto Esmeralda, que tem autorização para receber recursos para a ONG.

 

E também é possível entrar em contato com o coordenador Breno Costa pelo número 99821-2829. 


O projeto começou em 2013, no quintal de Sandra Mara Luiz Ribeiro, com 15 crianças que ela reunia aos domingos de manhã para ler livros e oferecer um café da manhã.

 

Na época, a voluntária procurou o Projeto Semear para pedir doações de materiais e a ONG, que até então auxiliava entidades diversas, valorizou e resolveu assumir o trabalho junto com Sandra.

 

“Identificamos a carência de um projeto mais amplo voltado a crianças de baixa renda na região (Jardim Universitário, Jardim Cavallari, Parque das Vivendas e bairro Higienópolis)”, lembrou Breno Costa.

 

Com a abrangência de mais crianças, foi necessário mais espaço.

 

A ONG construiu um ambiente multiuso nos fundos da casa de Sandra, com a sua permissão.

 

E com o aumento do trabalho, a voluntária acabou se tornando funcionária do projeto, mas a agente social continuou se dedicando voluntariamente, além de seus deveres e carga horária. Assim como seu marido, que também acabou sendo contratado pela ONG.


Hoje o Projeto Semear Marília tem cinco funcionários, 200 voluntários e atende 135 crianças, não só de domingo de manhã, voltado à confraternização e eventos, como de segunda a sexta-feira, no contraturno escolar.

 

O objetivo das atividades é contribuir com a formação de meninos e meninas, tendo amor, cidadania e dignidade entre as palavras-chaves.

 

A gestão é compartilhada, o que confere credibilidade e divisão de responsabilidades. 


Semear aguarda asfalto prometido pelo prefeito


A sede do Projeto Semear está sendo erguida na rua Doutor Mario de Albuquerque Lima, nº 107, meia quadra de distância do funcionamento atual da ONG, na casa de Sandra Ribeiro.

 

No lançamento da pedra fundamental da obra, em março de 2018, o prefeito Daniel Alonso esteve presente e prometeu a pavimentação da via, o que ainda não aconteceu.

 

Os gestores da entidade esperam que o asfalto seja feito e concluído antes da inauguração do prédio.