EDITORIAL: A voz do “morto”

A primeira pergunta que se faz por causa da indignação de grande parte da população brasileira é a seguinte: por que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ainda não foi enviado para um presídio federal e continua desfrutando de mordomias em uma sala/cela na Polícia Federal de Curitiba?


Apesar de ser um ex-presidente da República, Lula é um cidadão comum, sem foro privilegiado e que deve responder pelos seus crimes como todos os brasileiros.

 

Afinal de contas, Luiz Inácio é réu em dez processos, sendo que já foi condenado em dois deles (o do tríplex do Guarujá em segunda instância pelo Tribunal Regional Federal e prestes a ter confirmada a condenação em terceira instância pelo Superior Tribunal de Justiça; e também no processo do sítio de Atibaia, perto de condenação em segunda instância pelo TRF-4 nas próximas semanas). 


Causa revolta às pessoas de bem as mordomias para um presidiário que tem inclusive feito política de dentro da cadeia, com aval do Supremo Tribunal Federal, que permitiu entrevistas de Lula.


E aproveitando-se dessa mamata, o chefão da quadrilha do PT continua sendo o mesmo Lula de sempre com falácias abomináveis, fazendo de tudo para criticar a operação Lava Jato na tentativa de conseguir habeas corpus dos “ministros amigos” do STF e voltar às ruas para tentar enganar o povo com discursos falidos, sem nunca admitir a roubalheira desde o mensalão até o petróleo, que acabou levando lideranças do PT para a cadeia. Palocci que o diga!!!


Com anuência da torpe justiça da alta corte, Lula pode dar entrevistas para jornalistas da esquerda e até mesmo correligionários, como aconteceu na quarta-feira, dia 12, quando falou com José Trajano da emissora sindical TVT (do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC) e Juca Kfouri.

 

Foi a deixa para Lula voltar a criticar a condução de suas ações na Operação Lava Jato pelo ex-juiz Sérgio Moro, hoje ministro da Justiça e Segurança Pública.

 

“Ele (Moro) estava condenado a me condenar porque a mentira havia ido muito longe”, disse.

 

Para Lula, tanto Moro quanto Dallagnol são “mentirosos” e disse que o procurador “deveria ter sido preso”.


Com a maior cara-de-pau Lula ainda continua se considerando “a alma mais honesta do País, mais honesto que Jesus Cristo”, como já afirmou tempos atrás.


O ex-presidente disse estar ‘sereno’.

 

“A máscara vai cair. O que vai acontecer, eu não sei”, e completou: “Eu estou mais tranquilo hoje, por que a minha tranquilidade é daquele que sabe que é honesto. Que sabe que Deus sabe que eu sou honesto. O Moro sabe que eu sou honesto.” 


E quando mente, descaradamente, sequer fica vermelho, mesmo porque é questão de má índole.

 

O discurso é antigo e Lula bate sempre na mesma tecla, com mentiras deslavadas.

 

Segundo ele, a PF e o Ministério Público estão “a serviço de interesses americanos” e não de combate à corrupção.

 

E vai até ao delírio com duras críticas ao presidente Jair Bolsonaro (PSL).

 

Lula disse que, como resultado de sua ausência nas duas últimas eleições, "o país pariu essa coisa chamada Bolsonaro".

 

Ele também questionou o ataque à faca que vitimou o então candidato à Presidência em Juiz de Fora (MG).

 

Após o episódio, Bolsonaro passou por duas cirurgias.

 

E chega ao absurdo de duvidar do atentado.

 

"Eu, sinceramente...aquela facada tem uma coisa muito estranha, uma facada que não aparece sangue, que o cara é protegido pelos seguranças do Bolsonaro".

 

Bom lembrar que o criminoso Adélio Bispo era filiado ao PSol, tem fotos com a presidente do PT, Gleisi Hoffmann, esteve várias vezes no gabinete do ex-deputado Jean Wyllys (que fugiu do País com medo de ser preso, alegando sofrer ameaças).

 

No lugar de Wyllys ficou o suplente Davi Miranda (Psol), que é o “marido” do jornalista norte-americano Glenn Greenwald, que também entrevistou Lula na prisão, propiciando verdadeiro “palanque eleitoral” ao chefão da quadrilha do PT.

 

E foi Greenwald que publicou no site The Intercept as conversas entre o ex-juiz Sérgio Moro e o procurador Deltan Dallagnol conseguidas por hackers, criminosamente.


Ou seja, Lula sabe muito bem o tamanho do imbróglio em que todos estão metidos e que ele está dando os últimos suspiros na UTI da política, vomitando bobagens a nível de esclerose múltipla.