Marília completa 20 dias sem nebulização

Marília completa 20 dias sem nebulização contra dengue, que mata mosquitos transmissores adultos em localidades com casos confirmados. Isso porque o Malathion, inseticida utilizado no fumacê, está em falta. O Ministério da Saúde está com desabastecimento em decorrência de problemas na formulação pela empresa produtora. Houve vazamento de embalagens e sedimentação do produto, o que o inviabiliza p

Marília completa 20 dias sem nebulização contra dengue, que mata mosquitos transmissores adultos em localidades com casos confirmados. Isso porque o Malathion, inseticida utilizado no fumacê, está em falta. O Ministério da Saúde está com desabastecimento em decorrência de problemas na formulação pela empresa produtora.
Houve vazamento de embalagens e sedimentação do produto, o que o inviabiliza para uso. A empresa produtora do inseticida está ciente dos problemas e recolheu os 105 mil litros do produto, para testes e ensaios de qualidade. Só que a medida levou a uma escassez do inseticida nos municípios.
O trabalho de nebulização com equipamento portátil é indicado somente quando há caso positivo confirmado de dengue, num raio de 150 metros ao redor da residência do paciente ou do local onde ele passa mais tempo. A medida evita que possíveis mosquitos transmissores (Aedes aegypti) que estejam nessa área contaminem outras pessoas.
Isso porque o Aedes aegypti só adquire o vírus da dengue e passa a transmiti-lo após picar alguém contaminado. E como ele não voa grandes distâncias, quando há alguém doente é porque os mosquitos que o picaram ou podem vir a picá-lo, passando a ser novos transmissores, estão próximos de onde a vítima fica mais tempo, em casa e no trabalho ou escola, por exemplo. 
A Secretaria Municipal da Saúde ressaltou que as demais ações de combate à dengue continuam sendo feitas, incluindo o tratamento químico com larvicida em todo recipiente encontrado com ou sem água durante as visitas domiciliares dos agentes de saúde.
A medida, assim como não deixar que água fique parada (o que deve ser feito pela própria população), elimina a proliferação do Aedes, que é a forma mais eficaz de combate à dengue. Matar mosquitos adultos é uma ação emergencial porque a espécie se reproduz em grande escala e muito rápido, ciclo de uma semana. O Ministério da Saúde afirma que o desabastecimento do Malathion é momentâneo.