Marília chama atenção e intensifica serviços

Maio é o mês da luta antimanicomial, um movimento pelos direitos das pessoas em sofrimento psíquico. Entre as bandeiras defendidas está o fortalecimento dos Caps (Centros de Atenção Psicossocial), que trabalham para inclusão e socialização dos pacientes. Marília conta com três unidades para atendimento aos diferentes públicos. Parceria da Secretaria Municipal da Saúde com a Famema (Faculdade de Me

Maio é o mês da luta antimanicomial, um movimento pelos direitos das pessoas em sofrimento psíquico. Entre as bandeiras defendidas está o fortalecimento dos Caps (Centros de Atenção Psicossocial), que trabalham para inclusão e socialização dos pacientes. Marília conta com três unidades para atendimento aos diferentes públicos. Parceria da Secretaria Municipal da Saúde com a Famema (Faculdade de Medicina de Marília) propõe uma reflexão sobre a saúde mental. O poder público intensificou a divulgação, com o objetivo de estimular a população a procurar atendimento preventivo.
A rede básica de saúde oferece inúmeras oportunidades, como grupos de atividades físicas, coral, artesanato, atendimento coletivo e multidisciplinar à gestante, ao diabético e hipertenso, entre outros.
As ações, de forma direta ou indireta, favorecem a saúde da mente. As USFs (Unidades Saúde da Família) e UBSs (Unidades Básicas de Saúde) contam ainda com atendimento em saúde mental. Quando indicado, o usuário do SUS também tem acesso a psiquiatras, por meio da Policlínica e do ambulatório da Unimar.
CAPS
A psicóloga Simone Alves Cotrim Moreira, supervisora do Programa de Saúde Mental da Secretaria Municipal da Saúde de Marília, explica que dois Caps estão sob gestão do município: o Catavento (crianças e adolescentes) e o Com-viver, para adultos que não são dependentes de álcool e outras drogas. Já o Caps AD (álcool e drogas) é gerido pela Famema. Os três serviços funcionam de segunda a sexta-feira, com acolhimento de demanda espontânea (sem agendamento) no início da manhã. O quadro de funcionários é formado por equipe multidisciplinar em diversas áreas da saúde.
“A atenção psicossocial é uma resposta dos usuários da saúde mental, seus familiares, profissionais e estudantes da área da Saúde dão a uma política superada, que propunha apenas a internação hospitalar. Graças a esse movimento, a sociedade compreende hoje a importância desse tratamento que preserva o vínculo social”, destacou Simone. O secretário municipal da Saúde, Ricardo Sevilha Mustafá, lembrou os investimentos nos Caps nos últimos dois anos. “Nesse período mudamos o Caps-Viver de sede, para um local amplo e adequado, contratamos profissionais por concurso e estruturamos as equipes. Com isso, praticamente dobramos o número de pacientes atendidos. O resultado desse esforço nos alegra porque contamos com gente muito séria trabalhando nestas unidades e os benefícios chegam a centenas de pessoas”, disse.
SERVIÇO
O Caps Com-Viver está localizado na rua Marques de São Vicente, 322, bairro Maria Izabel. O telefone é o (14) 3434-2037. Já o Catavento fica na rua Alcides Nunes, 1.100 (atrás do Lar Amelie Boudet). Mais informações pelo (14) 3451-1660. O Caps AD (Famema) funciona no antigo NGA (Postão da avenida Santo Antônio). O telefone para mais informações é o 3433-8584.