Hotéis fazenda da Roteiros de Charme resgatam a história e a cultura do café

A bebida mais amada do Brasil tem entre seus marcos as regiões do Vale do Café fluminense e o interior paulista, e muitos motivos para comemorar: após quase um século, algumas fazendas históricas voltaram a produzir o grão, mas com uma filosofia diferente do século XlX. O plantio é para a colheita de cafés especiais, baseado na sustentabilidade e no favorecimento ao Meio Ambiente.

A bebida mais amada do Brasil tem entre seus marcos as regiões do Vale do Café fluminense e o interior paulista, e muitos motivos para comemorar: após quase um século, algumas fazendas históricas voltaram a produzir o grão, mas com uma filosofia diferente do século XlX. O plantio é para a colheita de cafés especiais, baseado na sustentabilidade e no favorecimento ao Meio Ambiente.

No interior fluminense, duas fazendas da Roteiros de Charme fazem parte desse projeto: a Fazenda Florença, em Conservatória, e a Fazenda União, em Rio das Flores.

A Fazenda Florença foi erguida em 1852 pelo clã dos Teixeira Leite, de origem portuguesa. Vindos de Minas Gerais, eles foram atraídos para o Vale do Paraíba pela riqueza do café. No interior do casarão, os hóspedes fazem uma viagem pelo tempo em forma de objetos originais do século XIX, como bengalas, cartolas, porcelanas, entre outros.

A produção de café da Florença começou em 2017. A fazenda tem 23 mil mudas de café em cinco hectares. O cafezal está aberto à visitação e o hotel também oferece cafés gourmet de alta qualidade que podem ser degustados na Cafeteria Firenze, localizada no próprio cafezal.

Já a Fazenda União foi construída em 1836 pelo Visconde do Rio Preto. O casarão encontra-se conservado e ambientado com seu mobiliário original e com peças recuperadas em antiquários e incursões pela região do Vale do Paraíba. Lá, são 9 mil mudas de café arábico em dois hectares. Há ainda uma pequena plantação com todas as espécies de café já plantados no Brasil.

Em breve, as duas fazendas irão oferecer a “Rota Imperial do Café”, uma experiência em que o turista fará uma ‘viagem no tempo’, com apresentação da história do Brasil imperial que termina com uma degustação de café nas fazendas.

Em Itu, no interior de São Paulo, a Fazenda Capoava revive a história do café através de uma exposição interativa sobre a importância da propriedade durante o ciclo do café e de outros períodos, como o do açúcar e do gado, sempre contemplando o cotidiano, a cultura alimentar e o papel da mulher nessa dinâmica.

A mostra fica no Espaço Memória, que nasceu a partir da extensa pesquisa do projeto “Terra Paulista: Histórias, Arte, Costumes”, idealizado pela socióloga Maria Alice Setúbal. O local abriga importantes documentos e obras de arte, com uma máquina de beneficiamento de café original, datada de 1930 e movida por uma roda d´água. Um vídeo 3D simula o funcionamento da engenhoca de quase três metros de altura.

Celebrando o Dia Nacional do Café, em maio, a Fazenda Capoava oferece aos visitantes uma verdadeira viagem por meio de fotos, texto e objetos que retratam a importância do café no Estado de São Paulo, bem como alguns dos principais eixos de conhecimento e cultura onde o grão é o maior atuante. A mostra aborda desde o cultivo até a comercialização do grão, passando por toda a perspectiva social e histórica da economia no Brasil.

Mais informações:

Hotel Fazenda Florença - site www.hotelfazendaflorenca.com.br

Fazenda União – site www.fazendauniao.com.br

Fazenda Capoava - www.fazendacapoava.com.br