Azul está contratando PCDs para atuar na companhia

A Azul Linhas Aéreas está contratando pessoas com algum tipo de limitação definitiva para atuar em diversos campos da companhia. Com oportunidades em São Paulo, Barueri, Campinas e Belo Horizonte, a empresa pretende preencher as vagas com pessoas que tenham algum grau de deficiência (PCDs).

A Azul Linhas Aéreas está contratando pessoas com algum tipo de limitação definitiva para atuar em diversos campos da companhia. Com oportunidades em São Paulo, Barueri, Campinas e Belo Horizonte, a empresa pretende preencher as vagas com pessoas que tenham algum grau de deficiência (PCDs).

Para participar basta enviar o currículo para o e-mail do RH (rhdiversidade@voeazul.com.br), e colocar no assunto qual a localidade em que tem interesse de atuar. Também é possível fazer o cadastro pelo site, basta ir na seção “Trabalhe na Azul”.

 

Latam implementa wi-fi em toda

a frota da ponte aérea SP-RJ

A Latam Brasil agora conta com wi-fi em 100% da frota que realiza os voos da ponte aérea entre São Paulo (Congonhas) e Rio de Janeiro (Santos Dumont). A companhia finalizou recentemente a instalação do sistema nas 22 aeronaves A320 que ligam os dois destinos.

O objetivo da empresa é "estimular o usuário a utilizar cada vez mais este serviço". Além da internet, a plataforma de entretenimento a bordo Latam Play oferece mais de 60 filmes, 300 episódios de séries de televisão, conteúdo para crianças e mapa interativo.

 

Abear defende abertura irrestrita

da aviação para capital estrangeiro

Por meio de um comunicado oficial, a Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear) defendeu a abertura irrestrita da aviação brasileira para o capital estrangeiro. De acordo com os associados, tal medida “ampliará a competição, sendo extremamente benéfica para a economia do País e para o consumidor”.

Ainda segundo a entidade, é fundamental que a Medida Provisória 863/2018 seja aprovada sem as emendas incluídas recentemente, uma vez que tais alterações “contradizem o espírito da própria MP, afastando investidores e novas empresas aéreas do Brasil”.

“O texto aprovado na comissão mista do Congresso Nacional, ao pretender obrigar as empresas a operar parte de seus voos em rotas regionais e revogar o modelo praticado em todo o mundo em relação à política de bagagem, compromete o modelo de negócio das companhias que queiram operar no País”, diz o comunicado.