Marília atinge nível epidêmico e está com 413 casos confirmados

Marília atingiu nível epidêmico de dengue e está com 413 casos confirmados da doença neste ano. São 401 registros autóctones (munícipes de Marília) e 12 casos importados. Apesar desse indicador, a Saúde Municipal afirma que o quadro é de “normalidade, na comparação com as cidades do mesmo porte e mesmas características demográficas”. De acordo com o Ministério da Saúde, a cidade entra em epidemia

Marília atingiu nível epidêmico de dengue e está com 413 casos confirmados da doença neste ano. São 401 registros autóctones (munícipes de Marília) e 12 casos importados. Apesar desse indicador, a Saúde Municipal afirma que o quadro é de “normalidade, na comparação com as cidades do mesmo porte e mesmas características demográficas”.
De acordo com o Ministério da Saúde, a cidade entra em epidemia de dengue quando ultrapassa 150 casos para cada cem mil habitantes. Foi o que aconteceu com Marília desde que se aproximou dos 300 resultados positivos da doença em 2019.
“Dizer que uma cidade encontra-se em epidemia não é motivo de alarde ou pânico, temos efetuado todos os esforços para conter o avanço da doença. Nossos servidores têm trabalhado com seriedade e comprometimento, seguindo todas as recomendações técnicas, inclusive com o apoio da Sucen”, mencionou o secretário de Saúde, Ricardo Mustafá.
Até o momento foram feitas 3.012 notificações de suspeita de dengue e pelo menos 850 já receberam resultado negativo. Os demais se encontram em investigação, com amostras enviadas ao Instituto Adolfo Lutz para análise.
A última epidemia de dengue de Marília até 2019 tinha sido a de 2015, quando atingiu níveis mais graves, com pelo menos 25.244 positivos (além dos assintomáticos ou com poucos sintomas que não chegam aos serviços de saúde) e 37 óbitos.
Neste ano ainda não há casos de óbito com confirmação de dengue. “Estamos trabalhando muito para evitar o agravamento da situação, o perigo existe e é real, mas juntos podemos ganhar essa batalha. É muito importante que a população continue contribuindo com o poder público nas ações de prevenção, pois só assim conseguiremos evitar a proliferação dos casos”, frisou o gestor municipal de Saúde. .