Conselho e gestão documentam pedidos de usuários

O Comus (Conselho Municipal de Saúde de Marília) levantou 300 apontamentos a partir da fiscalização feita em postos da rede básica. Nesta semana a Secretaria da Saúde agrupou os pedidos em quatro pilares. O documento vai nortear as ações da pasta em prol das equipes e usuários do SUS. Para condensar as solicitações feitas por usuários, funcionários e gestores das unidades de saúde visitadas, uma

O Comus (Conselho Municipal de Saúde de Marília) levantou 300 apontamentos a partir da fiscalização feita em postos da rede básica. Nesta semana a Secretaria da Saúde agrupou os pedidos em quatro pilares. O documento vai nortear as ações da pasta em prol das equipes e usuários do SUS.
Para condensar as solicitações feitas por usuários, funcionários e gestores das unidades de saúde visitadas, uma reunião foi realizada entre os conselheiros do Comus que integram a comissão de fiscalização da rede básica.
O conselho conseguiu unificar as solicitações equivalentes em cem propostas. Na sequência, o secretário municipal da Saúde, Ricardo Mustafá, se encontrou com os conselheiros para conhecer cada um dos pedidos e apresentar as ações que já estão em andamento, assim como as prioridades da pasta.
As informações foram cruzadas e agrupadas em quatro pilares de organização: infraestrutura; medicamentos e insumos; recursos humanos; e serviços (exames e consultas especializadas). O trabalho e a estratégia de ação foram apresentados na última reunião mensal do Comus, aberta ao público, na quarta-feira.
Das 14 unidades visitadas até agora, todas apresentam problemas estruturais ou de outra natureza. A comissão formada com essa finalidade, composta de 12 dos conselheiros de Saúde, iniciou as vistorias em setembro, suspendendo a ação no final do ano e retomando em 2019.
Entre as unidades vistoriadas, a mais crítica foi considerada a UBS Cascata, na rua Nove de Julho, nº 283, pela precariedade do imóvel e depósito de materiais e mobiliário da Saúde no local, ocupando espaço de atendimento e prejudicando o asseio. A Secretaria da Saúde conhece o problema e já firmou parceria com a iniciativa privada para a construção de um novo prédio para a UBS, na esquina das vias Vicente Ferreira e Claudio Manoel da Costa.