Conquista do mirante se aproxima

A última reunião do Comtur (Conselho Municipal de Turismo de Marília) aprovou a busca de recursos do Dadetur (Departamento de Apoio ao Desenvolvimento dos Municípios Turísticos) pela lei n° 16.938, sancionada pelo governador João Dória no último dia 26 de fevereiro. O objetivo é a conquista do mirante para o Vale (Córrego Barbosa), com praça em torno e réplica de dinossauro, valorizando as evidênc

A última reunião do Comtur (Conselho Municipal de Turismo de Marília) aprovou a busca de recursos do Dadetur (Departamento de Apoio ao Desenvolvimento dos Municípios Turísticos) pela lei n° 16.938, sancionada pelo governador João Dória no último dia 26 de fevereiro. O objetivo é a conquista do mirante para o Vale (Córrego Barbosa), com praça em torno e réplica de dinossauro, valorizando as evidências paleontológicas descobertas regularmente na região.  
Com a aprovação e o aumento da verba de R$ 590 mil (até o ano passado) para R$ 640.285,55 para cada M.I.T. (Município de Interesse Turístico), que é o caso de Marília, o projeto já existente no Município será adequado para que o recurso possa ser recebido para sua execução.
“Esse aumento de recurso vai nos possibilitar a inclusão de uma réplica de tamanho natural de uma das espécies de dinossauro para ser colocada junto ao mirante. E oura menor para o Museu de Paleontologia. Essas conquistas tornarão Marília ainda mais atrativa e bonita, com pontos de visitação e contemplação importantes. É uma novidade para a cidade”, disse o presidente do Comtur, Gilberto Gonçalves Rossi Junior. 
O projeto será revisto e adequado pela Secretaria Municipal do Trabalho, Turismo e Desenvolvimento Econômico, passando pela aprovação do Comtur. “Temos a garantia da boa utilização da verba”, observou Gilberto Rossi. O Comtur espera o início das obras ainda em 2019 e acredita que a população possa esperar o Mirante do Vale dos Dinossauros para 2020.
Mirante do Vale dos Dinossauros
O Mirante do Vale dos Dinossauros será construído na Via Expressa Sampaio Vidal, em terreno classificado como sistema de lazer, com área de 3.930,52 m², em propriedade de domínio da Prefeitura de Marília.
“Fica em frente a um dos vales, com paisagem diferenciada e bastante peculiar, proporcionando uma vista deslumbrante e ideal para contemplação da natureza. Um trecho que antigamente era chamado de “Bosque Perdido”, que nos remete às muitas evidências paleontológicas descobertas regularmente em nossa região”, mencionou o secretário municipal do Trabalho, Turismo e Desenvolvimento Econômico, Nelson Mora.
Segundo a pasta, o custo estimado dessa obra é de R$ 595 mil, que, se aprovado pelo C.O.C. (Conselho de Orientação e Controle) da Secretaria Estadual de Turismo, será inteiramente custeado com este recurso do M.I.T. Isto inclui a construção do mirante e toda a infraestrutura da praça, sem contar as réplicas.
Previsão municipal
Para utilizar o recurso deste ano, o convênio precisa ser assinado até dia 31 de dezembro e, a partir da assinatura do convênio, o prazo estimado é de doze meses para conclusão.
“Queremos fazer o quanto antes, por isso, estamos providenciando toda a documentação exigida. O processo é burocrático, como tem que ser. Um dos critérios, por exemplo, é a aprovação do projeto pelo Conselho Municipal de Turismo (que é consultivo e deliberativo), o que ocorreu na última reunião dia 28 de março. Toda a equipe está se empenhando ao máximo e a previsão é enviarmos o pleito para análise até o final de abril”, frisou o gestor municipal de Turismo.