Serviços de saúde mantêm portas abertas na paralisação de um dia

Os serviços da Secretaria da Saúde funcionaram normalmente ontem, durante a paralização de um dia dos servidores municipais. De acordo com o Sindimmar, sindicato da categoria, a adesão nessa área foi mínima, sem impacto para os usuários do SUS. A Secretaria Municipal da Saúde informou que não foi notificada pelas equipes gestoras da rede sobre nenhum impacto da paralisação de ontem (10) nos serviç

Os serviços da Secretaria da Saúde funcionaram normalmente ontem, durante a paralização de um dia dos servidores municipais. De acordo com o Sindimmar, sindicato da categoria, a adesão nessa área foi mínima, sem impacto para os usuários do SUS.
A Secretaria Municipal da Saúde informou que não foi notificada pelas equipes gestoras da rede sobre nenhum impacto da paralisação de ontem (10) nos serviços da pasta.
As 12 UBS e as 37 USFs (Unidades Básicas de Saúde e Unidades de Saúde da Família) abriram normalmente. Foi o caso da UBS Alto Cafezal. O casal Antonio Zilio, aposentado, e Ivanir Zilio, dona de casa, estiveram ontem nesse posto e elogiou o atendimento. “Faz mais de dez anos que frequentamos essa unidade do Alto Cafezal e as pessoas são sempre muito atenciosas. A equipe é ótima. Espero que a Saúde não tenha que entrar em greve”.
A paralisação de um dia foi uma greve relâmpago dos servidores públicos municipais como estratégia de pressão para que a Prefeitura conceda reajuste salarial de 10% e equipare o vale-alimentação ao dos funcionários da Câmara (aumento de R$ 196,00). Por enquanto a Prefeitura ofereceu 4% (com base no IPCA – Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) e R$ 50,00 de aumento no vale-alimentação, que hoje é de R$ 300,00.
Na área da Saúde, as USFs têm contratos diferenciados de trabalho, sendo que os trabalhadores são contratados via Gota de Leite, não sendo servidores municipais, diferente do que ocorre nos demais serviços de saúde, incluindo as UBSs.