Conversa com Bial volta com entrevistas com Olavo de Carvalho e Jean Wyllys

Terceira temporada do programa ouvirá brasileiros de situação e oposição, em dois extremos da disputa política no Brasil

A terceira temporada do Conversa com Bial estreiou ontem (terça-feira, 9/4), e, logo na primeira semana, o programa exibe duas entrevistas gravadas no exterior. Pedro Bial viajou para Europa e Estados Unidos para ouvir dois brasileiros que, embora autoexilados, continuam vivendo intensamente o Brasil, provocando amor e repulsa quando se manifestam: Jean Wyllys e Olavo de Carvalho.

Bial testemunhou, de certa forma, a origem dos dois fenômenos. Em 1997, entrevistou Olavo de Carvalho para a Globonews e o papo se tornou uma referência para os admiradores daquele que, hoje, é considerado o guru intelectual do governo de Jair Bolsonaro. “Foi a primeira vez que ele apareceu na televisão. Agora, chamei o Olavo para rever aquela entrevista de 22 anos atrás, olhar tudo o que aconteceu de lá para cá”, contextualiza.

Deputado do PSOL por oito anos, Jean Wyllys era um menino quando entrou no Big Brother Brasil, em 2005, na época ainda apresentado por Bial. “Foi o primeiro intelectual, professor, de origem pobre, baiano, gay, era algo muito novo, que emocionou o país inteiro”. No Congresso, Jean virou o porta-voz das causas LGBTQ, mas, assustado com seguidas ameaças de morte, preferiu abandonar o mandato e o país.

Para Bial, além do autoexílio, ambos têm em comum o fato de que possuem um projeto de país, mesmo que por caminhos diferentes. “São brasileiros que sofrem o Brasil, intelectual e emocionalmente. Talvez por isso não tenham conseguido ficar aqui. Estão fora, mas permanecem ativos e influentes”.

Bial celebra o fato de a temporada começar com personagens de visões tão diferentes, o que reafirma o Conversa como um lugar para se pensar o Brasil. “Ideias opostas não necessariamente precisam se excluir. Elas devem conviver. É assim que é a democracia”.

A entrevista com Olavo de Carvalho vai ao ar nesta quarta-feira (10) e a com Jean Wyllys na quinta (11), sempre depois do Jornal da Globo.

Sergio Moro abriu 3ª temporada

Primeiro convidado da terceira temporada do Conversa com Bial, no programa, Sergio Moro, ministro da Justiça e Segurança Pública, chamado de "avalista moral do governo Bolsonaro" por Pedro Bial, fez um balanço do seu trabalho nos 100 primeiros dias como ministro na equipe da atual presidência do Brasil. Ele apontou que a revogação da nomeação de Ilona Szabó como um dos momentos mais infelizes: “Quem saiu mais prejudicado fui eu.”

Em fevereiro, a cientista política e diretora do Instituto Igarapé foi convidada por Moro para integrar o Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária. O convite foi criticado nas redes sociais, principalmente por eleitores do presidente da República. Isso por causa da divergência de ideias em relações a questões defendidas por Jair Bolsonaro durante a campanha eleitoral, como a flexibilização do porte de armas. Ilona foi exonerada do cargo um dia após a nomeação ser publicada no Diário Oficial.