Ex-zagueiro do MAC da década de 80 morre em Jaguariúna

Lúcio tinha 57 anos, morava em Jaguariúna e tinha feito pelo menos 95 jogos com a camisa maqueana

Zagueiro do Marília Atlético Clube (MAC) na década de 1980, Lúcio Vicentin, conhecido como “Lúcio Cavadeira”, morreu ontem aos 57 anos, em Jaguariúna, onde residia e trabalhava na Prefeitura Municipal. A causa da morte não foi informada, mas o enterro aconteceu no fim da tarde desta segunda-feira (dia 18) na cidade em que morava. O ex-defensor nasceu em São Caetano do Sul e jogou na base maqueana.

No profissional, Lúcio tem registrado 95 jogos e dois gols marcados na pesquisa do jornalista Jorge Luiz – o número pode chegar a 113 partidas, pois 18 duelos no período estão sem ficha técnica. O zagueiro atuou de 1982 a 1985 pelo Marília e acabou fazendo parte do grupo com a melhor colocação da história do clube na elite do Paulistão (8º lugar em 84), mas também estava no elenco rebaixado em 85.

Segundo o goleiro Luiz Andrade, que atuou com Lúcio no MAC, falou sobre o apelido de “Cavadeira”. “O pessoal brincava com ele sobre isso, porque em um treino ele foi chutar a bola, mas acabou chutando o chão e fez um buraco no campo”, lembrou. Apesar de zagueiro, Lúcio também fez vários jogos pelo Alviceleste como volante.

No último domingo (dia 17), outro ex-jogador do Marília também faleceu. Trata-se do meia-atacante Edinho Lopes, de 58 anos, que jogou na base e fez parte do elenco que conquistou a Taça São Paulo Junior de 1979, apesar de não ter permanecido no grupo até as finais. A causa da morte também não foi informada. Ele tinha um estacionamento de veículos na cidade.

Mais um a sair do MAC

Ontem mais um jogador que disputou a Copa São Paulo Junior deste ano pelo Maquinho pediu desligamento. Com contrato amador até setembro desta temporada e com idade para mais uma edição da Copinha, o zagueiro Gidélson deixou o elenco. De acordo com a comissão técnica, a decisão de ir embora foi do próprio atleta. Na semana passada o volante Vinícius também deixou o clube.

O MAC tem agora nove jogadores da Copinha no elenco. Esses atletas fazem parte da ‘Lista B’ para o Campeonato Paulista da 4ª Divisão (Sub-23), ou seja, não ocuparão nenhuma das 26 vagas inscrição, pois pelo regulamento da competição eles possuem pelo menos seis meses de contrato e jogaram um campeonato oficial de base. Porém, somente cinco deles poderão ser relacionados para os jogos na Bezinha.

Os remanescentes da Copinha são: goleiro Braga, zagueiro Gustavo, lateral-esquerdo Mauro Silva, volante Danilo, meias Eduardo e Matheus Coruja; e atacantes Breno, Lucão e Luan. Do atual elenco, dez nomes estão certos para a Bezinha: goleiro Geílson (Comercial), laterais-direito Mateus Mima (Comercial) e Giovani (Independente); lateral-esquerdo Uéslei (Primavera), zagueiro Citta Junior (Taquaritinga), volante Matheus Chiclete (Penapolense), meia Wélder (Taquaritinga) e atacantes João Féres (Taquaritinga), Lucas Souza (Inter de Bebedouro) e Lucas Lima (Grêmio Anápolis-GO).

O Marília está no ‘Grupo 4’ da Bezinha com cinco adversários: Assisense, Vocem, Santacruzense, Itararé e Elosport/Capão Bonito. Todos vão jogar entre si em dois turnos e os quatro primeiros colocados avançam. A estreia é no dia 14 de abril (domingo), às 10h, contra o Vocem, fora de casa.